Notícias Placares ao vivo
Juventus

Como o FIFA 20 perdeu a Juventus para o PES e teve que criar o Piemonte Calcio

09:57 BRT 10/09/2019
PES 2020 Juventus group
Em julho, a Konami anunciou que a Juventus teria acordo exclusivo com o PES 2020. Saiba por que e como tudo isso aconteceu

A notícia de que a Juventus seria conhecida como Piemonte Calcio no FIFA 20 foi ridicularizada quando foi anunciado que os campeões da Serie A seriam exclusivos do PES.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Acesse o DAZN e teste grátis o serviço por um mês!

Embora outros clubes de alto nível tivessem feito parceria com a Konami no passado, o acordo com a Juventus significava que os kits, crachá, estádio e nome do time não apareceriam no FIFA 20.

Esse foi um triunfo para a Konami, pois ao longo dos anos o PES é conhecido por nomes de equipes "falsos", como Merseyside Blue (Everton) e South Norwood (Crystal Palace).

Jonas Lygaard, diretor sênior de marca e desenvolvimento de negócios da Konami, conversou com a Goal sobre como e por que eles afastaram os campeões italianos do seu maior rival.

"Estamos em um processo que começou há muito tempo", explica Lygaard, "que começou com a obtenção das licenças certas. Mas existe um mercado muito diferente em termos de estrutura do licenciamento, porque você tem certas ligas que detêm os direitos coletivos dos clubes que participam da liga ou torneio. Premier League, Bundesliga e La Liga têm direitos centralizados. A Premier League, por exemplo, detém os direitos de todos os emblemas, nomes, kits e estádios de todos os clubes sob seu acordo coletivo".

"Na Itália, a liga tem uma estrutura centralizada, mas a única coisa que centraliza é o torneio, o troféu e o emblema. Eles não têm os direitos dos clubes, nomes, brasões e camisas. Eles são de propriedade dos clubes".

Independentemente de quem gerencia os direitos de equipes e competições, o processo de contratação de um novo parceiro é longo, começando com a identificação das equipes com as quais a Konami deseja trabalhar.

Lygaard diz: "Trabalhamos com clubes italianos há muito tempo e temos a licença completa da liga e todos os clubes são licenciados ao lado da Juventus. Claro, a Juventus é o maior clube da Itália, é um dos melhores da Europa e do mundo. A Itália é um mercado importante - é um clube global com alcance global. Outras ligas são diferentes porque existem restrições. Por exemplo, na Premier League, só podemos trabalhar com dois clubes. Nosso concorrente [EA Sports] tem um contrato com a Premier League e parte disso limita todos os clubes".

A Konami, no entanto, estava livre para negociar com a Juventus - mas chegar a um acordo não foi rápido nem fácil, dadas as demandas legais envolvidas.

"O acordo com a Juventus foi discutido internamente há mais de três anos em uma reunião global que temos no Japão", revela Lygaard.

“A segunda parte é descrever quais direitos gostaríamos de adquirir do clube e a terceira coisa é alocar um orçamento para isso. Começamos a conversa com o clube para ver o que é possível fazer e o tempo que as conversas variam de clube para clube, porque, para alguns clubes, pode ser bastante direto em muitas conversas, mas você começa o trabalho legal".

"O trabalho legal às vezes é a parte mais demorada da conversa".

Também havia muitos obstáculos a serem superados nas conversas com a Juventus.

Lygaard diz: “Iniciamos essa conversa há dois anos, externamente. É algo que vai demorar muito tempo. Não assinamos esses contratos uma semana antes de o anunciarmos, e isso já foi resolvido em 2018. Também temos que entender que esses três novos clubes (Bayern de Munique, Manchester United e Juventus) estão todos em contrato com o nosso concorrente, e você deve respeitar isso e os clubes respeitam isso e isso o torna mais complexo".

A Konami estava no meio das discussões com a Juventus quando o time da Serie A contratou sensacionalmente Cristiano Ronaldo - provavelmente a marca mais comercializável do futebol.

Felizmente, a chegada da estrela portuguesa em Turim não complicou a situação da Konami.

Lygaard se entusiasma: “Isso foi ótimo para nós, porque começamos a conversar antes de Ronaldo estar lá. Fomos claros que queríamos trabalhar com o clube, dissemos ao clube que estávamos interessados ​​em trabalhar com eles e apreciamos a valorização que eles estavam apresentando. Pudemos ver muitos benefícios de trabalhar com o clube e Ronaldo entrando no mix de anúncios mais valiosos para nós em termos de exposição e importância".

Os kits, o crachá e o nome da Juventus não são apenas exclusivos do PES 2020, mas também o Estádio Allianz. Considerando que o FIFA 19 apresentou apenas três terrenos da Serie A (Estádio Allianz, San Siro e Estádio Olímpico), é um golpe significativo para a Konami, que foi auxiliada pelo fato de a Juventus ser um dos únicos quatro clubes da Serie A a possuir seu estádio.

Lygaard disse: “De clube em clube, a propriedade do estádio e os direitos às vezes pertencem ao clube, às vezes o arquiteto por trás do clube. É uma configuração complexa em termos de quem possui os direitos e, em alguns países, não está claro quem os possui".

Com todas essas partes móveis, é simples ver como pode ser difícil conseguir um acordo exclusivo com um clube. De fato, às vezes, até os parceiros comerciais do clube precisam ser levados em consideração. Felizmente, a Konami não teve problemas com a Juventus.

Lygaard diz: “Em termos de direitos, os clubes participam de muitos deles. Por exemplo, não precisamos falar com a Adidas e a Allianz com a Juventus porque esses direitos são concedidos a nós, portanto nossa conversa é sempre diretamente com o clube. É importante trabalharmos com outros parceiros do clube. Temos muitas conversas com a Adidas, a Allianz e outros parceiros, porque há benefícios em colaborar com o clube e com outros parceiros".

Negócios como o que tornou a Juventus exclusiva para o PES 2020 se estendem além do clube representado no jogo.

Na última temporada, o acordo do Barcelona com a Konami viu o clube usar os gifs do PES 2019 como alertas de gol. Embora Lygaard não possa entrar em detalhes com o acordo da Juventus, ele sugere que um acordo semelhante esteja em vigor com a Velha Senhora, embora o processo esteja longe de ser simples.

"Temos que criar muitos recursos", diz ele. "Antes de tudo, eles (Barcelona) têm três kits diferentes e muitos jogadores diferentes que podem marcar os gols, por isso temos que garantir a criação de todos esses nomes, alertas com todos os kits e jogadores. Além disso, temos que garantir que não façamos os mesmos alertas de gol. Algo que acontece frequentemente com alguém como Messi é que, quando ele marca um hat-trick em um jogo, não podemos ter o mesmo alerta de gol. É necessário criar muitos arquivos gif de cinco segundos, mas, para nós, o mais importante para nós é o alcance que obtemos dele, sendo capaz de mostrar a qualidade do nosso jogo, mostrando como forte é a semelhança. É algo que fizemos com outros clubes, bem como algo que levamos em consideração em todas as nossas negociações”.