Notícias Placares ao vivo
Barcelona

Após último título na Champions, Barcelona investe 700 milhões sem conseguir chegar a uma final

18:40 BRT 07/05/2019
Coutinho Barcelona Liverpool Champions League 07 05 2019
Desde então, um Barça cada vez mais 'galáctico' somou frustrações e sofreu duas viradas históricas na competição europeia

Quando o Barcelona desceu do gramado do Camp Nou, na última semana, o retorno a uma final de Champions League após quatro anos era quase uma certeza. Afinal de contas, os catalães haviam batido o Liverpool por 3 a 0. Uma vantagem gigantesca e que em apenas três ocasiões havia sido revertida na Champions League. A última delas, na temporada passada, puniu o Barça... e nesta terça-feira (07) a equipe inglesa voltou a castigar a equipe de Messi, que desde aquela vitoriosa temporada 2014-15 muito gastou e só acumulou frustrações continentais.

O clube catalão, conhecido mundialmente pelo seu celeiro de craques (uma fábrica que revelou craques como Xavi, Iniesta e Lionel Messi), desde então foi mudando o seu rosto: passou a protagonizar contratações gigantescas que o deixaram com uma aura ‘galáctica’ e ainda foi mudando o seu estilo de jogo. Dentre as cinco maiores contratações na história do futebol, o Barcelona contratou dois nomes desde então: Philippe Coutinho e Ousmane Dembélé só não foram mais caros do que Mbappé e Neymar, ambos do PSG.

Desde 2015, o Barça gastou um total de € 725,75 milhões e não apenas fracassou na missão de voltar a uma final europeia: acumulou vexames históricos. Caiu três vezes nas quartas de final, sendo a última delas em um roteiro muito semelhante ao visto nesta terça-feira (07). Na ida, vitória por 4 a 1 sobre a Roma dentro de casa seguida por uma derrota por 3 a 0 que pôs um ponto final àquela campanha. Um ano depois, o grande passo de um Barcelona milionário e mais pragmático (que domina menos a bola em relação aos últimos dez anos) foi avançar à semifinal apenas para cair por 4 a 0 por um Liverpool que sequer contou com Mohamed Salah e Roberto Firmino em campo.

O Liverpool, aliás, é um bom contraponto. Também gastou muito para reforçar a sua equipe, mas gastou muito melhor: contratou Alisson – autor de grandes defesas ao longo da temporada e, também, nesta terça – e Van Dijk para melhorar a zaga. Vendeu o seu protagonista, Philippe Coutinho, exatamente para o Barcelona e gastou menos do que os catalães para chegarem mais longe: foram € 527,53 milhões desde 2015 e agora duas finais garantidas. Nesta terça, Alisson e Van Dijk - as maiores contratações na história do clube inglês - decidiram; pelo Barça, Coutinho (contratação mais cara do Barça) pouco fez e Dembélé, o segundo barcelonista que mais custou dinheiro, não entrou em campo por causa de lesão.

Desde aquela última conquista de Champions League, na última temporada em que contou com Xavi no meio-campo, o Barça virou especialista em frustrar expectativas no maior dos torneios. Dentre as quatro maiores 'remontadas' europeias, metade delas foram contra os catalães.