Notícias Placares ao vivo
Liga dos Campeões da UEFA

Ajax 2 x 3 Tottenham: Lucas teve a maior atuação de um brasileiro na história da Champions?

19:05 BRT 08/05/2019
GFX Lucas Moura brasileiros Champions League
O atacante do Tottenham fez três gols e transformou uma derrota por 2 a 0 em vitória que levou os Spurs à finalíssima da competição europeia

Lucas Moura escreveu o seu nome na história da Champions League. O brasileiro salvou o Tottenham, conduzindo os londrinos à primeira final de Champions League em sua história. Foram três gols que garantiram uma virada épica por 3 a 2 sobre o Ajax nesta quarta-feira (08).

Não há dúvidas de que é uma das maiores atuações de um brasileiro na Champions League, mas a discussão que fazemos vai além: foi a maior na história? Relembramos outras três exibições inesquecíveis na era moderna da Champions League: Ronaldo Fenômeno (2003), Kaká (2007) e Neymar (2017).


Old Trafford se rende ao Fenômeno


(Foto: Getty Images)

Em uma época na qual o primeiro mata-mata após a fase de grupos já eram as quartas de final, Real Madrid e Manchester United chegaram com força para um duelo de gigantes. No jogo de ida, realizado na capital espanhola, os Blancos venceram por 3 a 1 e chegaram a Old Trafford com grande vantagem para o duelo de volta.

Envergando a camisa 11, Ronaldo abriu o placar aos 12 minutos e deu início ao seu show particular. O holandês Van Nistelrooy empatou no final do primeiro tempo, mas o brasileiro apareceu para fazer o segundo e, depois que Helguera fez contra a própria meta, marcando o 2 a 2, o Fenômeno voltou a estufar as redes para recolocar o Madrid na frente.

Após fazer três gols, o técnico Vicente Del Bosque tirou Ronaldo e o brasileiro deixou o gramado aplaudido pela torcida adversária. Os dois gols de David Beckham não serviram para salvar os Red Devils. O Real Madri avançou para a semifinal e caiu na semifinal para a Juventus.


Kaká faz os defensores baterem cabeça


(Foto: Getty Images)

O Manchester United começava a maturar a sua última grande geração, em que contava com nomes como Cristiano Ronaldo e Wayne Rooney como jovens protagonistas. Mas o Milan já estava pronto para o sucesso, e o desempenho de Kaká ao longo da temporada decidiu.

No primeiro jogo, realizado no mesmo estádio de Old Trafford que ovacionou o Fenômeno antes, o camisa 22 do Milan fez os dois gols no primeiro duelo das semifinais. O segundo deles, uma obra prima: após dar um balãozinho em Darren Fletcher no lado esquerdo do ataque, Kaká livrou-se da marcação de Heinze e Evra ao cabecear a bola entre ambos. Os defensores se chocaram e a bola sobrou para o brasileiro estufar as redes. O Milan perdeu por 3 a 2, mas avançou à final – e conquistaria o título – após fazer 3 a 0 na volta. O primeiro gol foi do ex-jogador do São Paulo.


Neymar e a virada sobre o PSG


(Foto: Getty Images)

Em 2017 o PSG goleou o Barcelona por 4 a 0 no duelo de ida das oitavas de final. Todos já davam a classificação dos franceses como certa. Dentro do Camp Nou, os gols de Luis Suárez, Kurzawa (contra) e Messi deram esperança aos catalães. Mas tudo parecia ter ido por água abaixo quando Edinson Cavani diminuiu para 3 a 1, resultado que obrigada o Barça a balançar as redes outras três vezes.

Foi exatamente quando Neymar apareceu para decidir: fez dois gols em dois minutos (88’ e 90’) e ainda deu a assistência para Sergi Roberto garantir o polêmico milagre – uma vez que alguns lances apitados pelo árbitro, incluindo um pênalti convertido pelo brasileiro, foram bastante questionáveis.


Lucas Moura e o milagre de Amsterdã


(Foto: Getty Images)

O último exemplo talvez seja o mais apoteótico, embora conte com um jogador que não tenha ainda o peso dos citados acima. O Tottenham chegou à Holanda precisando reverter o 1 a 0 sofrido em sua casa contra o Ajax, já sem contar com Harry Kane – artilheiro e melhor jogador do time. No primeiro tempo os donos da casa abriram 2 a 0, mas a etapa derradeira foi toda de Lucas Moura.

Escalado como referência no ataque, o camisa 27 fez três gols. O último deles praticamente no último lance da partida, garantindo o 3 a 2 para um Tottenham que chega pela primeira vez a uma final de Champions League. Apoteótico, inesperado, merecido e inédito: jamais um brasileiro havia marcado um hat-trick em semifinal de Champions!