Zona de rebaixamento dificulta busca do Grêmio por reforços

Última atualização
Getty Images

Penúltimo colocado no Campeonato Brasileiro, com sete pontos ganhos em 36 disputados, o Grêmio precisa reagir de maneira urgente dentro da competição. Porém, a cada dia que passa, o Tricolor dá mostras de que está seguindo religiosamente a cartilha do rebaixamento.

O mais recente exemplo foi a maneira como o departamento de futebol descobriu que o atacante Ferreira, de saída do clube para atuar no Atlanta United, ficou três dias sem aparecer no CT Luiz Carvalho para tratar da lesão no joelho.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

“Ele esteve ausente do departamento médico e eventualmente a gente não passa no departamento médico, e se a gente não é informado, a gente acaba não sabendo, nem o treinador sabia. Às vezes a gente passa no Departamento Médico, e às vezes a gente não passa. Infelizmente fomos tomados de surpresa com esta informação, que fazia três dias que ele não ia no departamento médico”, destacou Marcos Hermann, vice de futebol gremista, ao responder sobre o sumiço do atacante Ferreira.

A tentativa de reforçar o grupo também é um dos indicativos de que o Grêmio parece estar perdido. Mesmo sendo um clube superavitário, com uma saúde financeira de dar exemplo a todos os times do Brasil, a direção tricolor não consegue contratar os jogadores que deseja.

Recentemente o CEO do Grêmio, Carlos Amodeo, esteve na Europa para acertar as vendas do volante Matheus Henrique e do zagueiro Ruan para o Sassuolo, da Itália. O CEO gremista foi também com a missão de buscar reforços e fechar contratações.

O volante Hernani, do Parma, esteve próximo do acerto com o Grêmio, mas na última hora o jogador preferiu permanecer na Itália para atuar no Genoa. O meia uruguaio Gaston Ramirez, livre no mercado após findar o seu contrato com a Sampdoria-ITA, também foi procurado, mas não aceitou a proposta gremista.

Luiz Araujo OSC Lille 15072017 Luiz Araújo, em ação na França (Foto: Getty Images)

O atacante Luiz Araújo, do Lille-FRA, também entrou na pauta gremista. O atacante, de 25 anos, tem mais uma temporada de contrato com o time francês e, segundo os dirigentes do Grêmio, Luiz Araújo foi oferecido ao Tricolor mas, pelos valores pedidos pelo staff do jogador, seria um negócio inviável. Já o empresário Fernando Araújo, responsável pela carreira do atacante, afirma que em nenhum momento Luiz Araújo foi oferecido ao Grêmio e quem procurou informações sobre o jogador foi o Grêmio. O atacante deseja permanecer na Europa e não tem interesse de retornar agora para o Brasil.

Uma fonte que vive diariamente os bastidores do Grêmio revelou para a reportagem da Goal que, muitas vezes, um jogador pretendido pelo Grêmio prefere acertar com outro clube, por um salário menor, só para não correr o risco do rebaixamento.  

Borja e os reforços do departamento médico

O centroavante Borja, que vem do Palmeiras por empréstimo até o final de 2022, é a nova esperança gremista para tirar o time desta situação incômoda. O atacante é um pedido do técnico Felipão, que convenceu o colombiano a vir jogar no Grêmio. Pelo empréstimo, o Tricolor vai pagar um milhão e oitocentos mil dólares.

A direção gremista garante que, além de Borja, mais dois jogadores serão contratados: um meio campista e mais um atacante, para repor a saída de Ferreira.

Para o técnico Luiz Felipe Scolari, além das contratações, o importante neste momento é a recuperação dos jogadores que estão entregues ao departamento médico, caso dos atacantes Diego Sousa e Churín, do zagueiro Kannemann e do meia-atacante Douglas Costa.

“Borja é uma das soluções, mas o que mais vai nos ajudar são aqueles jogadores que estão no departamento médico e que queremos a liberação, e um tratamento mais forte para que nestes próximos dias a gente tenha todos à disposição, estes são os principais reforços que eu vou receber. Quem quer trabalhar pelo Grêmio e ajudar o Grêmio, estamos recebendo de braços abertos”, destacou Luiz Felipe Scolari