Tricolor de Coração: Dividir para conquistar

Comentários()
Mailson Santana/Fluminense FC
"Quando faltar pernas, ar ou habilidade seremos nós que iremos empurrar os jogadores para as vitórias, o maior “reforço” do Fluminense na temporada"


Por Romulo Macedo 


O ano de 2017 é um ano sui generis para o Fluminense e sua torcida. Pela primeira vez, a diretoria veio a público expor que a prioridade do clube não será a busca por títulos e sim arrumar a casa e pagar dividas contraídas no passado e que colocaram o clube em uma grave crise financeira.

Para pôr as finanças em ordem a diretoria tricolor tomou a decisão de não buscar reforços e ainda vender um ou dois jogadores titulares na abertura da janela de transferência para a Europa, com isso os dirigente pretendem fechar no azul um ano que tem previsão de déficit na casa dos 70 milhões de Reais, mas  tal decisão indubitavelmente irá dificultar, e muito, as chances do Fluminense em conquistar títulos na atual temporada.

Mas porque afirmo que esse ano é ímpar para o Fluminense e sua torcida?  Porque é exatamente no ano que parece ser um dos mais difíceis para o time, que não teremos nenhum jogador renomado no elenco, que a falta de experiência de alguns jogadores fica evidente em partidas decisivas e que a defesa aparece como uma das mais vazadas de todas as equipes da Série A, é que nós torcedores temos mais orgulho dos jogadores que estão vestindo a camisa tricolor e do comandante que está a beira do campo e mesmo diante tanto obstáculos ainda nutrimos esperança de conquistas.

Henrique Dourado Sornoza Lucas Fluminense Santos Brasileirao Serie A 14052017Foto: Pedro Martins/MoWa Press

É evidente que sempre queremos ver o Fluminense com um máquina em campo, mas esse ano não adianta nos iludirmos, então o que nos resta é apoiar incondicionalmente esse grupo de jogadores que estão correndo, suando e dando o máximo para honrar o pavilhão tricolor que nós amamos.  As vezes pode não funcionar, por falta de técnica, experiência ou qualidade, mas vontade e raça não está faltando e esses garotos, mesmo com salários atrasados, estão dando o sangue e suor pelo Fluminense e pelo seu comandante.

Mais artigos abaixo

Não adianta vaiar o Abel quando ele insiste na entrada de alguns jogadores em detrimento do Marquinhos Calazans, quando o Leo Pelé erra passes e cruzamentos ou mesmo quando o Cavaliere espalma uma bola para o meio da área. São esses jogadores que irão vestir a camisa tricolor até o final do ano e somente com o nosso apoio irrestrito e com novos shows nas arquibancadas é que poderemos ainda sonhar com conquistas em 2017.

Quando faltar pernas, ar ou habilidade seremos nós torcedores que iremos empurrar os jogadores para as vitórias, as nossas gargantas e entusiasmo serão o maior “reforço” do Fluminense na temporada 2017.

Tricolor, apaixonado, carioca, amante do mundo dos esportes, de viagens e de boas refeições. Não necessariamente nesta ordem. Esse é Romulo Macedo.

Fechar