Notícias Placares ao vivo
Cristiano Ronaldo

O lado bom e ruim de ter Cristiano Ronaldo no seu time

09:00 BRT 01/05/2017
Cristiano Ronaldo Real Madrid La Liga
O português abriu o placar na vitória do Real Madrid contra o Valencia, mas perdeu um pênalti

Há muito pouco tempo, ninguém tinha dúvidas: jogar com Cristiano Ronaldo não poderia ter nada de negativo. Afinal de contas, o português se cansava de fazer gols, aparecer nos momentos importantes e colocar medo nos rivais. Com ele, quase nada poderia dar errado. Só que o tempo passou... e CR7 já não é mais o mesmo.

Não é uma questão subjetiva, os números deixam claro que a sua temporada não é tão boa quanto foram as anteriores. Então, hoje as coisas estão mais claras: jogar com Cristiano Ronaldo tem o seu lado bom... e ruim.

Em determinados momentos, a sensação é de que os seus companheiros de time sentem a obrigação de passar a bola para o camisa 7. Se isso é bom ou não, depende. Às vezes, quando a bola queima é importante ter uma figura que vai assumir todas as responsabilidades. Só que muitas vezes, isso faz com que o estilo de jogo siga sempre em uma mesma direção. E isso tira muito da criatividade da equipe.

Números de CR7 na Champions League 2016-17

É ruim que às vezes o chute a gol seja dado quando o zagueiro está bloqueando o caminho; o bom é que CR7 pode dar uma assistência perfeita para Morata estufar as redes; é ruim que ele pouco participe da parte defensiva do jogo, mas os eu domínio de bola para receber os chutões da defesa é admirável. É ruim que ele pouco participe das tabelas, o bom é que resolve com simplicidade. O excesso de gestos não é legal, mas da mesma maneira ele celebra os seus gols.

(Foto: Getty Images)

Só que o português, volta e meia, volta a mostrar que é uma máquina perfeita de definição. A cabeçada com a qual abriu o placar contra o Valencia é um atestado disso. Dá até mesmo a sensação de que o camisa 7 já sabia o destino do cruzamento de Carvajal, ou que ele conta com a ajuda de anjos para o levantar mais alto do que todos. E aí, com uma técnica perfeita, ele arremata para o fundo das redes. E isso, sim, é o melhor de contar com o seu talento: em um momento complicado, tudo o que ele precisa é de uma bola alçada à área.