Manchester United volta a liderar a Premier League: desafio está no Liverpool

Última atualização

O Manchester United bateu o Burnley por 1 a 0 em jogo atrasado válido pela primeira rodada da Premier League. Tivesse o triunfo acontecido em setembro de 2020, para quando estava inicialmente agendado o encontro, a felicidade dos torcedores talvez não fosse tão grande como agora em janeiro de 2021. Vencer o Burnley, afinal de contas, é algo normal que seguia rotineiro na história dos Red Devils – nos dez encontros anteriores, os Clarets venceram apenas uma vez, sendo derrotados outras cinco oportunidades. O que era normal, mas tinha deixado de ser rotina, era ocupar a liderança do Campeonato Inglês.

Quer ver a Premier League ao vivo? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Pois o triunfo conquistado graças ao gol de Paul Pogba colocou o United isolado na primeira posição, com três pontos de vantagem em relação ao Liverpool (36 pontos contra 33). A última vez que o clube de Old Trafford foi líder tendo disputado um mínimo de 17 jogos foi na última rodada da temporada 2012-13, na despedida de Sir Alex Ferguson como treinador. É uma informação marcante, uma vez que aquele 2013 marcou o último título inglês do lado vermelho de Manchester e a despedida do comandante que, por quase 27 anos, colocou os Red Devils na posição hegemônica no cenário do futebol da Terra da Rainha. Depois que Ferguson saiu, o United tentou... mas nunca mais foi o mesmo.

Sob o comando de Solskjaer, ele próprio um ex-jogador de Ferguson, o United tem sido bipolar. Entre novembro de 2018 até este janeiro de 2021, os Red Devils já empolgaram e decepcionaram o torcedor com intensidade praticamente igual. O técnico norueguês foi aclamado, questionado, aclamado novamente, cornetado e quando uma sequência positiva voltava, a empolgação virava até desconfiança – com um Mauricio Pochettino então à disposição, havia quem deixasse até de comemorar algumas vitórias por achar que elas eram “enganosas” e serviam apenas para manter Solskjaer no cargo. O triunfo sobre o Burnley, contudo, apresenta a seguinte pergunta: será que agora o United engrena de verdade?

A última derrota do time na Premier League foi em novembro de 2020 para o Arsenal. Desde então, foram nove vitórias e dois empates. O mesmo conjunto que despertou a ira dos colorados mancunianos por ter sido eliminado na fase de grupos da Champions League, agora faz a massa de torcedores sonhar. Mas para reencontrar o título inglês, o desafio principal é fazer justamente o que faltou sob o comando de Solskjaer (e, a bem da verdade, de todos os sucessores de Ferguson até aqui): conseguir manter o ritmo em alto nível. O exemplo mais próximo a ser seguido é justamente o de seu arquirrival: o Liverpool treinado por Jurgen Klopp, atual campeão nacional após uma campanha histórica que fez o ato de levantar a taça virar quase um exercício de contagem regressiva.

E o destino colocou justamente o Liverpool como próximo adversário do Manchester United. Neste domingo (17), o maior clássico da Inglaterra será disputado em Anfield Road, uma prova de fogo que pode ser a virada de chave necessária para os Red Devils voltarem à posição de candidatos reais ao título inglês.

“Sabemos que vamos enfrentar os atuais campeões. Eles tiveram três temporadas inacreditáveis”, disse o técnico Solskjaer para a Sky Sports após a vitória sobre o Burnley. “Mas nós estamos prontos e animados. Estamos com fome e este será mais um teste de personalidade e qualidade. Nós estamos em uma boa posição para isso”, completou o norueguês. O desafio para o United reconquistar a Inglaterra está em bater os atuais campeões, assim como em ser tão regulares como o time de Klopp tem sido nos últimos anos.