Notícias Placares ao vivo
Brasil

Juninho Paulista novo chefe de Tite na CBF: Veja o raio-x como dirigente do ex-jogador

19:57 BRT 08/07/2019
Juninho Paulista Rogerio Caboclo Edu Gaspar Brasil 08072019
Após título do Brasil na Copa América 2019, CBF anuncia o ex-jogador como substitui Edu Gaspar na coordenação da seleção brasileira

Há três meses no cargo de diretor da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Juninho Paulista foi confirmado na noite desta segunda-feira (08), como o novo coordenador da seleção brasileira. Cogitado como o principal substituto de Edu Gaspar, que irá para o Arsenal, o ex-jogador de futebol chamou à atenção da CBF graças ao currículo atraente em gestão de esporte.

Por 10 anos à frente do Ituano, Juninho foi convidado pelo presidente da instituição brasileira, Rogério Caboclo, em abril, para ser o responsável pela diretoria de desenvolvimento da CBF. Na época, Caboclo acabava de assumir a presidente e nomeou Juninho para a função. Agora, as tarefas passam a ser totalmente voltadas à seleção.

Durante o anúncio, Caboclo destacou: “Saiu Edu e entrou outro craque, que é o Juninho Paulista. É uma perda para a área de desenvolvimento do futebol, onde ele fazia um trabalho brilhante, mas certamente manterá o nível na coordenação técnica da Seleção”.


Passagem no Ituano


Revelado pelo Ituano, Juninho estreou com a equipe do interior paulista em 1993. O jogador que teria passagem pelo São Paulo, Atlético de Madrid, Palmeiras e Flamengo encerrou a carreira profissional justamente no time de Itu.

No entanto, em 2010, Juninho vestiu novamente a camisa do Ituano ao mesmo tempo no qual atuava como gestor do clube. Nas quatro primeiras temporadas como gestor, o Ituano brigou contra o rebaixamento no Paulistão em três ocasiões. Não era um bom começo para o atleta considerado ídolo do clube. 

Juninho iniciava a gestão em um time mergulhado em uma crise financeira, estrutural e administrativa. Em campo, a queda livre preocupava os torcedores: sem divisão para disputar, o clube não tinha mais times nas categorias de base ou campo para treinar. Sem movimentação financeira, as dívidas da equipe foram pagas pelo próprio Juninho, que reativou as categorias de base em 2011.


(Foto: Reprodução internet)

A gestão ainda ficou conhecida pelo respaldo e confiança sobre os técnicos que passaram pelo comando do clube. Nos dez anos do ex-atleta na direção do Ituano, apenas oito treinadores assumiram o elenco. 

Uma das maiores mudanças ocorreu na estrutura do clube, em especial, a reforma do estádio Novelli Júnior. Atualmente, o complexo conhecido por abrigar a seleção da Rússia durante a Copa do Mundo em 2014, conta com três campos de treinamento.

A “Era Juninho” investiu visando não somente no futebol e na estrutura, mas também em popularizar a marca do time e ajudar psicologicamente jovens da base que não conseguem se tornar jogadores profissionais. Há dois ano, o clube iniciou parceria de dez temporadas com o "Grupo Gaia" para obter certificados de melhor empresa para se trabalhar.


Qual era a função de Juninho na CBF?


A diretoria de desenvolvimento foi criado pensando nas habilidades e personalidade do ex-meia que reestruturou o Ituano com um modelo de gestão. De quebra, o recém-criado setor ainda serviu para Juninho ganhar espaço na instituição e para a atual diretoria conhecer “de perto” o trabalho dele

Juninho Paulista foi o primeiro diretor do setor de desenvolvimento da CBF. Com o objetivo de unir as diretrizes de evolução de cada departamento da instituição, a diretoria auxilia no desenvolvimento de calendário, registros e nas categorias de base do futebol brasileiro.

Em entrevista ao programa “Aqui com Benja” na Fox Sports, o substituto de Edu Gaspar explicou: “Essa diretoria não existia, foi criada agora e eu sou o primeiro diretor. Antes era uma função muito pulverizada, todos os departamentos tinham uma parte de desenvolvimento que precisava se desenvolver. Então quando eu cheguei eu observei todos esses departamentos e agora tudo que tenha a ver com desenvolver veio para a nossa diretoria para se tornar uma só: calendário, registros, categorias de base. É um todo que é inspecionado pela minha pasta”.


Substituto ideal para Edu Gaspar?


Com a saída de Edu Gaspar para se tornar executivo de futebol do Arsenal, a CBF tinha os holofotes diretamente voltados aos serviços do ex-dirigente do Ituano. 

Durante a campanha do Brasil na Copa América a interação de Edu com a equipe nacional se tornou menos frequente comparado com outras ocasiões, o que aumentou os rumores da possível saída de Gaspar e a chegada de Juninho. Como coordenador da seleção, o ex-São Paulo herdará as funções e será e responsável pelas categorias de base da seleção.


(Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

A longa experiência de Juninho em gestão pesou a favor do ex-jogador que fala mais de dois idiomas devido as temporadas nas quais atuou no Atlético de Madrid, da Espanha, e no Middlesbrough, da Inglaterra. O feito facilitaria as conversas com a "Pitch", empresa que cuida dos direitos sobre os jogos internacionais da seleção brasileira. Uma das funções será controlar a logística de amistosos do Brasil.

Juninho Paulista terá como primeira tarefa participar da definição dos amistosos de outubro e novembro do Brasil. Para o mês de setembro, Edu Gaspar fechou acordos para a seleção encarar a Colômbia, dia 6, em Miami, e o Peru, dia 10, em Los Angeles.