Com o retorno de Willian, quem tem a perder no Palmeiras?

Comentários()
Miguel Schincariol/Getty
O atacante vem se recuperando de uma cirurgia no joelho, e vai brigar pela vaga de titular que comandou em 2018

Mesmo sem ainda ter atuado em 2019, Willian é um dos jogadores que mais desperta confiança na torcida do Palmeiras.

O atacante de 32 anos teve que passar por uma cirurgia para reconstruir o ligamento cruzado anterior de seu joelho direito em dezembro de 2018, fruto de uma lesão que sofreu na penúltima partida do Campeonato Brasileiro.

Quer assistir jogos ao vivo e de onde quiser? Assine o DAZN e teste o serviço por um mês grátis!

Cinco meses depois, o atacante recebeu liberação médica para iniciar os trabalhos de transição física no gramado e tem previsão de retornar ao plantel de Luiz Felipe Scolari após a pausa da Copa América.

Além da invencibilidade no Brasileirão desta temporada, o time também se classificou às oitavas de final da Copa Libertadores como a melhor campanha da fase de grupos, e sai vantagem nas oitavas da Copa do Brasil, diante do Sampaio Corrêa. O Verdão já realizou 28 partidas desde que levantou a taça de campeão brasileiro, em dezembro, com alguns revezamentos na equipe titular.

Ao que parece, nada faz falta neste elenco que vem mostrando uma solidez ao longo dos torneios e uma boa preparação na briga por mais títulos em 2019. E deste ponto de vista surge a pergunta: onde Willian se encaixaria nesses termos?

O atacante manteve uma boa forma desde que chegou ao clube, em janeiro de 2017, ocupando sua posição de titular absoluto sob o comando de Felipão. O primeiro fato é que o seu retorno diminuiria, de imediato, as chances de Carlos Eduardo em campo. O jogador já vive uma sequência de partidas nos bancos de reserva por não ter aproveitado tão bem seus momentos como titular, e teria ainda menos minutos em campo com Willian à disposição.

Zé Rafael Marcelo Herrera Palmeiras San Lorenzo Libertadores 08052019
(Foto: NELSON ALMEIDA/AFP/Getty)

Hoje, a vaga de titular é ocupada por Zé Rafael, que apesar de um início não muito favorável, tem mostrado um bom aproveitamento. O ex-jogador do Bahia já marcou dois gols logo na primeira partida do Brasileirão e complementa o trio de ataque formado por Dudu e Deyverson, uma vez que Borja também tem sido deixado no banco pelo professor. 

Apesar de estar numa posição favorável no plantel, os primeiros passos de Zé no Palmeiras não foram como o esperado, sendo pouquíssimo utilizado por Felipão durante o Campeonato Paulista e marcando uma "gafe" na semifinal contra o São Paulo, quando a decisão foi levada aos pênaltis e o jogador errou a última cobrança pelo Verdão, perdendo a vaga na final.

Além de Zé, Felipão também tem optado por Gustavo e Scarpa ou Hyoran na posição. No último confronto do time pelo Brasileiro, contra o Santos, a entrada de Hyoran substituindo o camisa 8 aos 36 minutos do segundo tempo foi seguida por um gol do próprio jogador.

O ex-jogador da Chapecoense nunca teve um status de titular no Palmeiras, mas soube aproveitar as poucas chances em campo. Atualmente, o meia já soma dois gols na temporada, mas não é considerado um concorrente direto de Willian no plantel.

Gustavo Scarpa Junior Barranquilla Palmeiras Copa Sudamericana 06032019
(Foto: JOAQUIN SARMIENTO/AFP/Getty)

Já Scarpa teve presença imprescindível nas poucas partidas do Verdão na Libertadores, além de ser o atual artilheiro do time na temporada , com sete gols. O camisa 14 balançou as redes quatro vezes em três partidas pelo torneio continental, sendo dois gols marcados no duelo contra o Melgar, além de três gol no Paulistão. Não ocupa a posição de titular no plantel de Felipão, mas é um candidato a entrar na disputa com Willian por espaço.

É incontestável que o Palmeiras possui pelo menos três times titulares à disposição para os três torneios que disputa, e cabe ao técnico avaliar em qual delas o retorno de Willian seria o ideal. A disputa mais acirrada fica entre Gustavo Scarpa e Zé Rafael, porém, ao longo da readaptação do camisa 29 em campo, pode ser que a dúvida da titularidade não seja mais preocupante para Felipão.

Fechar