Velório de Maradona na Casa Rosada: tudo sobre o adeus ao ídolo argentino

Comentários()
Maior ídolo da Argentina é velado com honras de chefe de Estado e atrai centenas de milhares de fãs; evento gera tumulto nas ruas de Buenos Aires

Maior ídolo da Argentina, Diego Maradona recebeu um velório digno de chefe de Estado. O eterno craque, que faleceu neste 25 de novembro de 2020 , teve seu corpo velado na Casa Rosada, sede do governo federal do país antes de ser enterrado no cemitério de Bela Vista, ao lado de seus pais.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O governo argentino esperava uma movimentação de um milhão de pessoas para o ritual de despedida do ídolo. O velório, porém, gerou confusão e tumulto nas ruas de Buenos Aires.

Quando foi o velório de Maradona?

Estádio Diego Armando maradona Argentinos Jrs 25 11 2020 (Foto: Divulgação/Argentinos Jrs)

O velório de Maradona foi aberto ao público na manhã desta quinta-feira (26). Antes disso, familiares e amigos mais próximos tiveram uma cerimônia privada. Alguns jogadores e ex-jogadores estavam entre os presentes, como Carlitos Tevez e Martin Palermo.

O plano inicial era que a despedida pública a Maradona fosse até às 16h desta quinta, mas devido ao alto número de pessoas, o prazo havia sido extendido até às 19h. Após a confusão nos arredores da Casa Rosada, porém, o evento foi encerrado precocemente.

Diego foi velado na mesma capela usada para o ex-presidente Néstor Kirchner e o piloto Juan Manuel Fangio. A viúva do ex-comandante, Cristina Kirchner, esteve presente na cerimônia, bem como o atual presidente da Argentina, Alberto Fernández. O treinador do River Plate, Marcelo Gallardo, também deu seu último adeus ao ídolo.

A família de Maradona não fez grandes pedidos, segundo o Clarín, solicitando apenas uma bandeira da Argentina sobre o caixão, que está totalmente fechado diante do público. Além da bandeira, uma camisa 10 da Argentina e uma do Boca Juniors também foram colocadas sobre o caixão.

Torcedor do Argentinos Juniors, clube que revelou Maradona para o futebol, Alberto Fernández falou sobre o sentimento de tristeza.

“Eu não posso acreditar. Estou desolado. Esta é a pior notícia que um torcedor do Argentinos Juniors pode receber. Nós o amamos”, afirmou.

Tumulto e confusão

O começo do funeral foi marcado por tumulto entre aqueles que esperavam desde antes das 6h para entrar no salão da Casa Rosada. A situação foi controlada, mas não seria a última vez que teríamos tumulto na despedida do ídolo.

Após o encerramento precoce do velório, que estava marcado para as 16h (de Brasília), novamente tivemos cenas de confusão, já que um alto número de pessoas não haviam conseguido se despedir de Maradona, com fãs tentando entrar à força e a polícia os atacando.

Por essas razões, o velório ficou aberto ao público por mais algumas horas, com o objetivo de abafar o tumulto.

Não funcionou. A confusão continuou e o velório teve que ser interrompido, com a polícia proibindo os fãs de entrarem na Casa Rosada. Em represália, foram jogadas garrafas na polícia, que dispersou os manifestantes com violência e fez um cordão à frente do edifício.

Certos manifestantes foram detidos pela polícia, enquanto outros se feriram e precisam de atendimento médico. 

Expectativa de grande cobertura

Ainda de acordo com o Clarín, jornalistas do mundo todo fizeram o requerimento para cobrir o funeral do eterno camisa 10. O jornal ainda relata que figuras políticas demonstraram o interesse em homenagear presencialmente Diego. Dentre estas personalidades, além do chefe de governo espanhol, Pedro Sánchez, também está o ex-presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva.

O canal oficial do governo argentino no Youtube transmitiu a despedida ao vivo:

Diferentes objetos foram lançados em direção ao caixão pelos fãs de Maradona, de camisas e bandeiras a flores. Os seguranças se esfoçaram para que as pessoas não parem diante do caixão e assim garantam uma circulação permanente, evitando que a fila na entrada da Casa Rosada ficasse ainda maior.

Após um trajeto segue cercado de fãs, perfilados para darem, fisicamente, o último adeus ao maior ídolo do país, Maradona foi enterrado no cemitério de Bela Vista, ao lado de seus pais, em uma cerimônia que contou com cerca de 30 pessoas.

Precauções em meio à Covid-19

As autoridades montaram diversos cercados na tentativa de controlar a circulação das pessoas e evitar maior proximidade entre elas em meio à pandemia do novo coronavírus.

Na entrada da Casa Rosada, todos os fãs que entraram na fila em direção ao caixão precisam higienizar as mãos com álcool em gel fornecido pelo governo.

Desde o anúncio de sua morte, Maradona recebeu homenagens de todas as grandes personalidades e instituições do esporte.

Fechar