Lenglet: "A humildade de Messi só faz aumentar sua condição de lenda"

Comentários()
Em bate-papo com a Goal, zagueiro recém-chegado ao Barcelona contou como está sendo a adaptação no time espanhol

Um dos 'novatos' do Barcelona na temporada 2018/19, Clément Lenglet já ganhou posição de destaque na equipe do treinador Ernesto Valverde, com apenas 23 anos. Um dos líderes da zaga espanhola, ao lado de Piqué, o francês chegou ao Camp Nou em julho deste ano, muito graças às boas atuações que colecionou no Sevilla no único ano em que passou pela Andaluzia.

Com contrato de cinco temporadas com o time de Camp Nou, o defensor concedeu entrevista exclusiva à Goal, na qual falou como está sendo os quatro primeiros meses no Barcelona,  além de comentar sobre a convivência com Lionel Messi e ressaltar os pontos positivos do craque argentino.

Contratado por 35 milhões de euros, Lenglet admitiu que ainda busca uma rotina para o seu dia a dia na Catalunha, porém enfatizou que aos poucos está se acostumando com a cidade de Barcelona: “Eu já encontrei uma casa e pouco a pouco procuro minha rotina para poder curtir tudo, a cidade, o clube e as instalações, nesta cidade há muitas coisas para fazer e me sinto muito bem".

A boa fase na carreira se estende aos gramados, onde ele vem se firmando cada vez mais uma das lideranças da 'nova geração' de jogadores que chegaram ao Camp Nou, que inclui os brasileiros Malcom e Arthur e seu compatriota, o atacante Ousmande Dembélé.

Clement Lenglet & Pembelian Termahal Dalam Sejarah Barcelona
(Foto: Getty Images)

"Sempre sonhei em jogar em grandes equipes, mas sei que temos que trabalhar duro, é muito difícil jogar em clubes como esses e, no momento, estou muito feliz por tudo isso, trabalho para continuar melhorando”, disse.

O francês aproveitou para comentar sobre a convivência com Messi, e revelou que está encantado com a chance de trocar conhecimentos com o argentino, cinco vezes vencedor da Bola de Ouro.

"Falamos de muitas coisas, ele me pergunta sobre o futebol francês e conversamos sobre como jogar em campo, com ele é diferente de tudo. Quando o melhor jogador do mundo fala, você tem que ouvir com muito cuidado, e não apenas isso, mas abra bem os olhos e veja o que você faz".

Adversários na época em que Lenglet atuava no Sevilla, o defensor comparou o tempo no qual precisava “parar” Messi como adversário e nos dias atuais, como colega de time nos treinos do Barça: "Como rival eu tentava pará-lo, mas eu sempre soube que era muito difícil. Como um companheiro é diferente porque você pode mudar o jogo, mas ele é uma pessoa muito humilde, ele tem grande respeito por todos e que torna ainda maior sua lenda ".

Coincidentemente, o primeiro jogo de Lenglet com o Barcelona ocorreu justamente contra o Sevilla. Na ocasião, o time Catalão venceu, por 5 a 0, na final da Copa do Rei, algo que já está marcado no início da jornada do francês na Catalunha.

"Foi um jogo muito difícil. Foi o meu primeiro jogo com o Barcelona, ​​seria contra os meus antigos colegas de equipe e a chance de ganhar o primeiro título da minha carreira. Além de não conhecer os meus novos companheiros de equipe também, porque alguns ficaram treinando em Barcelona, enquanto o resto de nós viajou para a pré-temporada nos EUA, mas tivemos um bom jogo e conseguimos uma importante vitória”, relembrou.

Clement Lenglet Cultural Leonesa Barcelona Copa del Rey
(Foto: Octavio Passos/Getty Images)

Confira outros pontos abordados na entrevista:

Transferência para o Barcelona: "Toda vez que há uma transferência de jogadores há sempre uma negociação para resolver, é algo que eu já estou acostumado. Meus colegas me disseram que as coisas sempre acontecem nas negociações e eu estava calmo."

Convivência no vestiário: "Todos eles são pessoas muito boas e eu me dou bem com todos. Eu converso com o Arthur Melo, que também é uma recente contratação como eu. Nós falamos muito com os franceses, com Sergio Busquets e Ivan Rakitic. A verdade é que não há um jogador com quem eu não fale".

Atuações em campo: "Tudo tem que estar progredindo em todos os aspectos para ser melhor, em um clube como esse você tem que trabalhar pensando na perfeição e estou longe disso. Eu tento trabalhar o máximo possível e ouvir os conselhos do treinador e as pessoas de fora que são importantes para mim. Quero progredir e aumentar minha capacidade, embora às vezes as coisas corram bem e às vezes nem tanto".

Inspiração em Zinédine Zidane: "Muitos anos atrás eu jogava como meio-campista, para a maioria dos franceses da minha geração, Zidane era um jogador maravilhoso, eu era muito jovem e queria muito jogar na mesma posição que ele e tentar fazer o que ele fazia. Acredito que sua humildade e seu modo de ser sejam um bom exemplo para mim e para o mundo inteiro”.

Momento de Dembélé no clube: "Bem, se eu estivesse na arquibancada, acho que é compreensível (as polêmicas recentes). Estávamos perdendo, e se ele começasse a rir, as pessoas também não entenderiam. Eu não acho que haja algum problema com ele, ele estava doente, não poderia estar treinando e o técnico escolheu outro jogador, são coisas que acontecem em todos os clubes e todos estamos na busca do mesmo objetivo. Enquanto esteve ausente, Dembélé demonstrou maturidade e capacidade de aprender”.

Próximo artigo:
Genial Ben Arfa brilha pelo Rennes - Índice de performance da Ligue 1
Próximo artigo:
Solari defende elenco do Real Madrid ao rebater Cristiano Ronaldo
Próximo artigo:
Justiça nega pedido de Ronaldinho e craque segue sem passaporte
Próximo artigo:
PSG estreita laços com Neymar e evita interesse de outras equipes
Próximo artigo:
Solari é o treinador com o melhor aproveitamento nas principais ligas da Europa
Fechar