Cruzeiro se inspira em 1997 para evitar vexame histórico

Comentários()
Washington Alves/Light Press
Raposa nunca foi eliminada na fase de grupos da Copa Libertadores

O Cruzeiro tem uma partida decisiva pela Copa Libertadores nesta noite. No terceiro lugar do grupo 5 da competição continental, a Raposa enfrentará a Universidad de Chile, que está no segundo posto, três pontos a frente dos mineiros, às 19h15 (de Brasília), no Mineirão.

A equipe de Mano Menezes precisa da vitória para se manter viva na competição e não se complicar. Um empate torna a classificação para o mata-mata muito difícil, enquanto uma derrota praticamente elimina os celestes.

Por conta disso, o Cruzeiro tem a obrigação de vencer para manter vivo o sonho do tricampeonato da Libertadores e impedir que uma marca negativa aconteça. A Raposa nunca foi eliminada na fase de grupos da competição continental.

Nesta década, por exemplo, o Cruzeiro fez boas campanhas na fase de grupos da Libertadores. Em 2010, ficou no segundo lugar da sua chave, com 11 pontos, terminando atrás do Vélez Sarsfield, que somou 13 unidades. Depois, eliminou o Nacional nas oitavas de final, mas caiu no estágio seguinte para o São Paulo.

Em 2011, o Cruzeiro, então chamado de Barcelona das Américas, teve a melhor campanha da fase de grupos, com cinco vitórias e um empate em seis jogos, somando 16 pontos. No entanto, caiu logo nas oitavas de final para o Once Caldas.

Em 2012 e 2013, a Raposa não disputou a Libertadores. Na volta ao torneio, em 2014, ficou no segundo lugar de seu grupo, com 10 pontos, atrás apenas da sensação Defensor, que fez 11. Curiosamente, aquele grupo tinha La U, que terminou no terceiro posto. O time estrelado passou pelo Cerro Porteño nas oitavas, mas foi eliminado pelo futuro campeão San Lorenzo nas quartas.

Cruzeiro - San Lorenzo - Copa Libertadores - Cuartos de final - 05142014(Foto: Getty)

No ano seguinte, o Cruzeiro foi o primeiro colocado de sua chave, com 11 pontos, e deixou o São Paulo para trás nas oitavas de final, mas novamente deixou a competição perante um argentino nas quartas. Desta vez, o River Plate, novamente com derrota em pleno Mineirão. Em 2016 e 2017, o clube mineiro ficou de fora da Libertadores, voltando a disputar o torneio nesta temporada.

Qualidade técnica, talento, experiência e força para superar as adversidades, todos sabem que o Cruzeiro possui. No entanto, a Raposa chega para o jogo desta noite longe de sua melhor forma. Aliás, em seu pior momento na temporada.

O time de Mano Menezes só venceu um dos últimos seis compromissos. A única vitória foi na final do Campeonato Mineiro, quando bateu o rival Atlético-MG por 2 a 0 no Gigante da Pampulha e conquistou o título. Para piorar, o Cruzeiro não sabe o que é vencer há três jogos e sequer marcou gols nas últimas três partidas. Se levarmos em consideração os últimos cinco duelos, a Raposa não balançou as redes em quatro.

Não à toa, o time vive péssimo início de Campeonato Brasileiro e se complicou na Libertadores. Sem marcar gols e com duas derrotas, os mineiros estão na zona de rebaixamento, no 19º lugar do Brasileirão, após os reveses por 1 a 0 para Grêmio e Fluminense. Na Libertadores, empatou sem gols com La U no Chile. Estes, aliás, foram os últimos três confrontos dos celestes.

De Arrascaeta Fabian Monzon Universidad de Chile Cruzeiro 19042018 Copa Libertadores(Foto: MARTIN BERNETTI/AFP/Getty)

Nas últimas partidas, o Cruzeiro tem sofrido com a falta de criatividade e mostrou um futebol pobre para o elenco e o talento que possui. É hora de reagir e mostrar melhor futebol, superando a má fase e dando a volta por cima logo no jogo mais importante da temporada até aqui.

Confira os números do Cruzeiro na Libertadores:

E existem motivos para acreditar em uma reviravolta. Por mais que a Universidad de Chile seja um rival experiente, com jogadores de qualidade como o craque Pizarro, e saiba se defender, o Cruzeiro é superior, atua em casa e já superou momentos ruins anteriormente. 

Contra o Galo, por exemplo, a Raposa vinha em má fase e tinha sido atropelada pelo rival na semana anterior, mas deu a volta por cima com uma grande atuação e o título no jogo decisivo. Além disso, o Cruzeiro já teve essa experiência em Libertadores. No ano do bicampeonato, em 1997, o time celeste perdeu seus três primeiros jogos na fase de grupos, mas conseguiu dar a volta por cima e arrancou para conquistar a América pela segunda vez na história.

Fechar