Game over, Brasil! Bélgica pula do 'mundo virtual' à semifinal da Copa
Neymar Brazil Belgium World Cup 06072018
Shaun Botterill/Getty
'Geração belga' comandada por De Bruyne, Hazard e Lukaku acaba com o sonho brasileiro do hexacampeonato mundial

"Ah, a famosa geração belga..."

"Ah, a geração belga do Fifa, do PlayStation..." 

Quantas vezes você já ouviu em tom de deboche as frases acima? Pois é. No Brasil, pelo menos, as gozações merecem ficar no passado.

Uma geração liderada por De Bruyne, Hazard e Lukaku está (merecidamente) garantida na semifinal da Copa do Mundo da Rússia para enfrentar a França. Uma classificação conquistada na Arena Kazan com uma atuação no nível "lendário" em cima de um Brasil fragilizado e com tardio poder de reação. Uma incontestável vitória por 2 a 1 digna de fazer o adversário desligar a televisão e cogitar quebrar o controle de raiva.

ASSISTA: os gols de Brasil 1 x 2 Bélgica

Fernandinho Brazil Belgium World Cup 06072018 (Foto: Getty)

O Brasil até começou melhor o confronto, tendo duas oportunidades claras para abrir o placar, uma com Thiago Silva e outra com Paulinho. Não marcou e, como castigo, sofreu um "tilt" poucos minutos depois. Um gol contra de cabeça de Fernandnho foi o preço pago. 

A desvantagem acabou por acarretar numa desorganização defensiva nunca antes vista sob o comando de Tite. Um prato cheio para De Bruyne e Hazard. A dupla de atributos que beiram o número 100 tomou conta da partida. Isso, claro, sem falar de Lukaku, outro acima da média, seja na vida real ou virtual.

Apesar de ter jogadores da mesma elevada pontuação, principalmente Neymar e Philippe Coutinho, o Brasil não conseguiu se impor no jogo. Chegou perto de balançar a rede, é verdade, mas nada que alimentasse grandes esperanças no primeiro tempo. Faltou calma. Faltou pontaria. Faltou um pouquinho de sorte. Faltou também De Bruyne não ter feito o segundo gol.

Brasil Bélgica I 06 07 18 I Copa do Mundo (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

Com Roberto Firmino, Douglas Costa e Renato Augusto no time, os comandados de Tite buscaram a todo custo o ataque na volta do intervalo. Sofreram para conseguir passar por cima do inspiradíssimo Courtois. O alento veio com a cabeça do terceiro, que aproveitou cruzamento de Phillipe Coutinho e diminuiu o placar.

O gol incendiou o Brasil. Por pouco, muito pouco, o mesmo Renato Augusto não empatou o duelo. Neymar, com um chute colocado de fora da área, foi o responsável pelo último suspiro. Também ficou no quase. A raça e a insistência dos minutos finais foram pouco para que a frase "Ah, a famosa geração belga..." seguisse alvo de piada. 

Game over, Brasil! O restart fica para ser dado no Qatar em 2022.