Zidane surpreende o mundo mais uma vez e deixa o Real Madrid órfão de um gênio

Comentários()
Getty Images
Francês controlou o clube mais vencedor do mundo como poucos conseguiram e sua saída terá um impacto enorme

Header Gabriel Pazini

Ele nos surpreendeu com a magia que só um dos maiores jogadores da história poderia ter. Golaços, assistências, dribles, passes e jogadas magníficas que pareciam impossíveis para meros mortais. O futebol encantador em sua essência e a classe de um craque vencedor, campeão de tudo que era possível e todos os atletas sonham em vencer. Protagonista nos momentos mais importantes, até em finais de Champions League e Copa do Mundo, com gols e lances dignos de sua magia. A arte em forma de futebol.

Depois, ele voltou a nos surpreender. Ele, que parecia jogar de terno e gravata, desta vez vestiu o estilo social na beira do campo como treinador e fez ainda mais história. Um dos melhores técnicos do mundo na atualidade pegou um dos maiores - ou o maior - clubes do planeta em crise, e mesmo com toda a pressão, como fez quando jogador, não sentiu o peso da responsabilidade. Transformou um time perdido em uma máquina e, novamente, tornou realidade o que parecia impossível.

Nesta quinta-feira (31), o gênio nos surpreendeu mais uma vez. Agora, anunciando sua saída do clube em que é lenda.

Zinedine Zidane Real Madrid resignationZinedine Zidane Real Madrid 31052018

Zinedine Zidane espantou o mundo com seu talento único como jogador, os feitos impressionantes como técnico e sua saída inesperada do Real Madrid.

Zizou assumiu um time que parecia fadado a uma temporada fracassada em janeiro de 2016. A resposta dos Blancos para a crise e a demissão de Rafa Benítez foi apostar em um dos maiores jogadores da história, campeão de tudo pelo clube, mas que nunca tinha sido treinador de um clube profissional. Seu currículo tinha apenas a experiência no Castilla, e por isso, a desconfiança era grande, mesmo se tratando de Zidane.

O francês, porém, mostrou como técnico a genialidade dos tempos de atleta. Organizou o Real Madrid taticamente, deu uma cara e uma identidade a um time que estava perdido. Fez Cristiano Ronaldo render ainda mais, ser uma máquina de gols e o cara em jogos decisivos. Ele tinha uma fama de amarelão que não o acompanha mais, ou é preciso lembrar dos seus feitos e tentos nos duelos decisivos da Champions League recentemente?

CR7 respeitou as decisões de Zizou e não o criticou mesmo jogando cada vez menos minutos. Ele entendeu a ideia do treinador de poupá-lo para estar 100% nos momentos mais importantes e na reta final de cada temporada. O gajo também virou cada vez mais centroavante, mudando sua posição original.

O atacante foi cada vez mais decisivo e letal sob o comando de Zidane. Os dois ainda tinham uma excelente relação, até de amizade, algo raro entre um treinador e a estrela de uma equipe. Não à toa, Cristiano Ronaldo se emocionou com a saída do francês e se disse "orgulhoso" por ter sido treinado por ele.

Cristiano Ronaldo Zinedine Zidane Real Madrid Liverpool UCLZidane Ronaldo

Marcelo é outro cresceu com ele, Casemiro se tornou um dos melhores volantes do mundo e deu o equilíbrio necessário ao time, a defesa ficou mais estável, Sergio Ramos se consolidou como lenda madridista e Kroos e Modric passaram a jogar um futebol ainda mais exuberante.

O Real Madrid ficou ainda mais espetacular e fez história com Zidane. Espelho de seu treinador, decisivo nos momentos mais importantes e destaques nas finais mais épicas que venceu e nos maiores títulos de sua carreira, o time cresceu nos grandes jogos e principalmente na competição europeia. 

Não à toa, conseguiu o inimaginável tricampeonato da Champions League. Um feito nunca alcançado por um treinador e por um clube na era moderna da competição. Algo que não acontecia desde a década de 1970. Uma hegemonia impensável no futebol moderno.

Zinedine Zidane & Pelatih Dengan Gelar Piala Eropa/ Liga Champions Terbanyak

Além das três Champions, Zizou ganhou dois Mundiais de Clubes, duas Supercopas Europeias, uma Supercopa Espanhola e uma La Liga.

Lenda como jogador e como treinador. Da história do futebol e, especialmente, do Real Madrid. Zidane foi protagonista do clube em momentos decisivos, finais e títulos, como atleta e como técnico, em alguns dos momentos mais importantes e emblemáticos dos Blancos em todos os tempos.

E como se tudo isso não bastasse, Zizou tinha a "chave" do vestiário do Real Madrid. Mesmo nos momentos de maior pressão com resultados negativos, o ambiente do clube com o francês era ótimo. Não à toa, os Merengues conseguiram dar a volta por cima após as derrotas para conquistar o tricampeonato da Champions e outras conquistas.

Nem mesmo treinadores experientes conseguiram administrar o elenco recheado de estrelas como Zidane conseguiu. Parte pela maestria e qualidade como técnico e gestor, parte pelo respeito que sua história impõe. Afinal, como não poderia ser diferente, o francês é o ídolo de vários nomes do elenco, que cresceram vendo suas jogadas.

Zidane & RamosIsco & Casemiro & Zinedine Zidane

Zidane é respeitado, querido e amado no Real Madrid. É uma lenda do clube, conquistou tudo o que era possível na capital espanhola em suas duas carreiras. Deu uma cara ao time, transformou uma crise em uma das fases mais gloriosas dos Blancos em toda a história, fez cada jogador e a equipe crescer de produção e controlou o clube mais vencedor do mundo como poucos conseguiram.

Zizou sai no momento certo. Vencedor, histórico, é impossível ser melhor. Sai antes que uma crise ou uma temporada sem títulos afete tudo o que ele fez. Sai antes de receber críticas injustas e conviver com uma pressão insustentável. Sai antes que o desgaste natural se torne algo impossível de administrar. Até nisso o francês acertou.

GFX Zidane 31 05 18

Com enorme moral no mercado, ele será cobiçado por vários clubes e seleções, e tem as portas abertas para voltar quando quiser ao Real como salvador. A escolha realmente foi feita na hora ideal.

A saída de Zidane, porém, certamente terá um impacto enorme no clube, que fica órfão de sua genialidade. Dificilmente algum treinador conseguirá tudo o que ele conseguiu. E se tratando de Real Madrid, a pressão para seguir empilhando taças será enorme depois de um período tão espetacular.

E o problema é que não existem muitos nomes disponíveis no mercado. O melhor deles talvez seja Luis Enrique, que detesta - e faz questão de tornar isso público sempre que tem a oportunidade - o Real Madrid desde os tempos de jogador, quando deixou o clube para reforçar justamente o rival Barcelona, onde foi capitão e, mais recentemente, treinador, sendo um nome histórico dos Blaugranas, conquistando várias taças.

Thomas Tuchel já assinou com o PSG, Löw e Lopetegui acabaram de renovar seus contratos com as seleções de Alemanha e Espanha, Conte parece um nome improvável após a segunda temporada decepcionante no Chelsea, que deve acertar com Sarri. Klopp parece muito feliz no Liverpool e não dá mostras de que deixará Anfield Road, onde está muito feliz, tão cedo.

Luis Enrique Zinedine Zidane Real Madrid Barcelona LaLiga 23042017(Fotos: Getty Images)

Heynckes se aposentou e teve uma saída conturbada do clube no passado, assim como Ancelotti - novo técnico do Napoli - e José Mourinho - com contrato no Manchester United. Guardiola jamais treinaria o Real Madrid e tem um projeto ambicioso no Manchester City. Arsène Wenger também não parece um nome provável depois dos últimos anos decepcionantes no Arsenal.

O Real Madrid precisará apostar em Pochettino, que faz um trabalho sensacional no Tottenham - e convencê-lo a deixar os Spurs após renovar seu contrato na última semana -, mas teria um desafio deste porte pela primeira vez na carreira, ou tirar Allegri, outro excelente treinador e dono de feitos invejáveis, da Juventus. Os dois nomes parecem os mais prováveis em uma primeira análise de mercado.

Seja qual for o substituto, ele terá um enorme trabalho e muita pressão pela frente. Não só por se tratar do Real Madrid, um dos maiores clubes do mundo, onde a cobrança por títulos e um futebol bonito sempre beira a insanidade, mas por substituir Zidane e ter a responsabilidade de manter um nível poucas vezes visto em toda a história do esporte.

Fechar