Notícias Placares ao vivo
Japão

Yoshida lembra derrota em 2014 e mira revanche contra a Colômbia: "Desta vez é diferente"

16:00 BRT 14/06/2018
2018-06-12-japana-maya yoshida
Time sul-americano é o rival da estreia na Copa do Mundo; No Brasil, "Los Cafeteros" golearam por 4 a 1

O Japão tem uma "motivação a mais" para a estreia na Copa do Mundo contra a Colômbia, na terça-feira (19), às 9h (de Brasília): revanche. 

Em 2014, as equipes se encontraram na última rodada da fase de grupos do Mundial do Brasil, e as equipes estavam em situações distintas: enquanto o Japão precisava vencer para avançar de fase, a Colômbia já garantido a sua vaga. O resultado não poderia ter sido pior para os japoneses, que foram goleados pos 4 a 1 e acabaram sendo eliminados do Mundial.


(Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images)

Desta vez, as equipes se enfrentarão logo na primeira rodada, e os nipônicos não esqueceram a derrota. "Estávamos em uma posição muito difícil diante do último jogo do grupo contra a Colômbia", disse o zagueiro Yoshida em entrevista ao site da Fifa.

"Nossa derrota inicial contra a Costa do Marfim nos cutous caro, quando, depois de marcar um gol cedo, desperdiçamos nossa vantagem dando muitas facilidade. Por isso, no jogo contra a Colômbia, somente a vitória nos importava. Fomos mal e nos deram uma lição sobre o quão difícil uma Copa do Mundo poderia ser", completou.

Agora, Yoshida planeja uma revanche japonesa na estreia da Copa do Mundo da rússia. "Estou muito animado para enfrentá-los novamente. Mas as coisas são muito diferentes em comparação com a última vez. Há quatro anos nos enfrentamos no último jogo do grupo, mas desta vez, na Rússia, nos enfrentaremos no primeiro jogo. Normalmente, o primeiro jogo é complicado para todas as seleções e a Colômbia não deve ser uma exceção. Acho que será uma partida equilibrada", afirmou


(Foto: Getty Images)

"Temos um novo técnico para nos guiar", disse, se referindo a Akira Nishino, que assumiu o comando da seleção japonesa em abril. "Ainda que nossas expectativas não sejam tão altas (como antes), as aspirações dos jogadores permanecem intactas", argumentou o zagueiro.

"Sendo realista, seria um sucesso para nós alcançar as oitavas de final. Faremos o nosso melhor para fazer um bom Mundial", finalizou Yoshida.