Notícias Placares ao vivo
Copa do Mundo

Uniforme da Espanha não é o único a causar polêmica antes de Copa do Mundo

20:35 BRST 08/11/2017
Spain WC shirt poster
Relembre outras peças que deram o que falar, histórica, política e esteticamente, ao longo dos mundiais

Camisas de futebol são itens especiais para quem é fã do Esporte Bretão, e quando a Copa do Mundo começa a se aproximar a ansiedade para ver os modelos a serem usados pelas equipes cresce ainda mais.

Nos últimos dias, foram divulgados os uniformes de alguns dos principais selecionados. A grande polêmica ficou por conta da Espanha. Em meio às tensões políticas causadas pela possível independência da Catalunha, a peça titular foi alvo de insatisfação na capital do país.

Isso porque o modelo, inspirado na indumentária usada no Mundial de 1994, tem detalhes em amarelo e uma cor que parece ser muito mais o roxo do que o ‘azul petróleo’ divulgado pela fabricante. Qual o problema nisso? A junção do vermelho, amarelo e roxo formam a bandeira da Segunda República Espanhola (1931-39), que simboliza uma forma de oposição ao regime monárquico vigente no país ibérico atualmente.

Pequeno detalhe, grande polêmica (Foto: Getty Images)

Mas o uniforme que os espanhóis usarão na Rússia (cuja apresentação oficial foi cancelada pela federação nacional) não é o único que levantou polêmicas em Copas do Mundo. Listando abaixo apenas uniformes oficiais feitos para o maior torneio do futebol – ou seja, desconsiderando improvisações, como quando a Argentina teve que usar a camisa do Malmö contra a Alemanha, em 1958 – confira as camisas mais polêmicas da história dos Mundiais!

BIZARRICE BOLIVIANA

(Foto: Reprodução)

Em sua estreia na primeira Copa do Mundo, realizada em 1930 no Uruguai, a seleção boliviana resolveu homenagear os donos da casa. Na derrota por 4 a 0 para a Iugoslávia, os sul-americanos entraram com 11 letras gigantes bordadas no seu uniforme, formando a frase ‘Viva Uruguay’. Uma peça simpática pela intenção, mas horrível na execução.

SUÁSTICA NA CAMISA ALEMÃ

(Foto: Reprodução)

O espectro da Segunda Guerra Mundial começava a pairar o mundo na década de 30, e enquanto Hitler esteve no comando, a Alemanha fez de tudo para propagar o regime nazista que matou milhões. No uniforme usado pelos jogadores na Copa realizada na Itália, a suástica foi bordada no uniforme. Na época não surpreendeu, mas anos depois acabou entrando na história graças ao seu contexto.

ITÁLIA... DE PRETO?

(Foto: Getty Images)

Em 1938, o clima de guerra estava ainda mais evidente [o conflito começaria de fato no ano seguinte]. Assim como os alemães vinham fazendo, a Itália de Benito Mussolini usou uma peça que homenageou o viés político do regime totalitário. Contra a França, o time que se sagraria bicampeão mundial usou um uniforme todo preto, cor vinculada ao fascismo, nas quartas de final.

ZAIRE E CRUYFF INOVAM EM 1974

(Foto: Reprodução)

Quando ainda era chamado de Zaire, a atual República Democrática do Congo estreou em Copas do Mundo com um uniforme curioso: a camisa contava apenas com um enorme leopardo na frente – símbolo do país, e em grande destaque... nada de marca d’água!

Cruyff: único! (Foto: Getty Images)

Mas o que ficou marcado na história mesmo foi o uniforme da Holanda! Isso porque o craque do timaço comandado por Rinus Michels, Johan Cruyff, se recusou a usar as três listras da famosa patrocinadora. Como tinha contrato publicitário com a empresa arquirrival na época, Cruyff desfilou sua categoria com apenas duas listras em seus ombros.

BRASIL E A PROPAGANDA MAROTA

(Foto: Reprodução)

A Seleção de 1982 encantou o mundo com um futebol de troca de passes e classe. Mas a camisa também teve o seu viés polêmico. Dentro do escudo da CBF foi desenhado um símbolo para representar o Instituto Brasileiro do Café (IBC). No Mundial seguinte, a FIFA proibiu o uso do pequenino detalhe.

COSTA RICA ALVINEGRA

(Foto: Getty Images)

Se a bandeira da Costa Rica é vermelha, azul e branca... por que o selecionado usou uma camisa alvinegra em seu primeiro Mundial? Existe uma explicação e uma suposição. Oficialmente, a opção foi para homenagear o La Libertad, um dos clubes mais antigos do país e que fazia 75 anos em 1990. Outros dizem que foi para criar uma similaridade com o uniforme da Juventus, e assim conseguir uma torcida extra (algo que não foi confirmado).

CAMARÕES SEM MANGA

(Foto: Getty Images)

Para a Copa do Mundo de 2002, Camarões fez talvez a maior inovação da história: uma camisa sem manga!  A FIFA não aprovou, e no torneio realizado no Japão e Coreia do Sul os africanos improvisaram uma manga preta.

E você? Se lembra de algum uniforme usado em Copas do Mundo que causou polêmica?