Notícias Placares ao vivo
Premier League

Unidos na Cidade de Manchester: a fanfarrônica amizade entre Best e Summerbee

09:00 BRT 24/04/2019
George Best Manchester United
Lendas dos rivais United e City, os jogadores fizeram grandes tabelas fora dos gramados

Geralmente, quando o seu time tem um grande ídolo, um craque, e o clube rival também conta com tal figura, ambos personificam tal rivalidade. Às vezes, eles tratam isso com absoluta indiferença; podem nutrir admiração mútua ou antipatia forte.

Mas raramente eles são dois grandes amigos. Foi o caso de George Best e Mike Summerbee, ídolos históricos de Manchester United e City, respectivamente.

Sempre que os lados azul e vermelho da cidade inglesa se encontram, milhares são as histórias tiradas ‘do fundo do baú’. E milhões são as que teremos ainda para contar no futuro. Neste domingo (10), poderemos registrar muita coisa que acontecerá no dérbi de Manchester.

O embate entre City e United já protagonizou brigas, golaços, músicas... mas também uma forte amizade, prova absoluta de que o que acontece no campo, fica no campo.

Em 1965, o inglês Summerbee foi contratado pelo City após ter destaque com o Swindon Town. Os azuis estavam na segunda divisão e ganhariam o título/acesso naquela temporada, com o novo ponta-direita atuando em todas as partidas. Best já havia sido campeão com o United, mas ainda não era o grande protagonista.

A primeira interação entre os futuros camaradas aconteceu, quem diria, em um café (o mais normal teria sido um pub, no mínimo). Autor da biografia “Imortal”, que conta a história do ícone norte-irlandês, Duncan Hamilton descreve o encontro entre George e Mike como “se amigos de infância tivessem se reencontrado”.

E era bem isso mesmo. Tanto, que o futebol era apenas um assunto como qualquer outro. De acordo com o ídolo do City, eles apenas perguntavam como havia sido determinado jogo. A bola era apenas uma vírgula numa história que se tornaria bem parecida com a de estrelas do rock, ritmo que embalou a década de 1960.

Na mesma época em que tornou-se celebridade europeia ao ser apelidado como “o Quinto Beatle”, Best abriu uma loja com Summerbee. Um estabelecimento que vendia roupas ‘para machos extrovertidos’, como dizia a lenda do United.

A tabela dentro dos gramados era impossível, mas fora das quatro linhas a parceria era forte. Ao invés de gols, o objetivo era diversão e, claro, mulheres... na maior quantidade possível. Chegou ao ponto de ambos dividirem um apartamento para terem mais facilidades – e sossego – com as conquistas.

Lá, o futebol podia ser a última de suas preocupações, mas as roupas eram divididas nas cores azul e vermelho... para identificar muito bem cada um. Quando Mike Summerbee se acalmou, o padrinho de casamento (best man, em inglês) foi Best.


O AUGE FUTEBOLÍSTICO DE MANCHESTER


A temporada 1967-68 foi especial para a cidade de Red Devils e Citizens. Os vermelhos conquistariam, em Wembley, a Copa dos Campeões da Europa - atual Champions League – pela primeira vez, com George Best brilhando ao nível de receber a Bola de Ouro.

Já nas rodadas finais do Campeonato Inglês, Summerbee e Best apostaram que o vice-campeão teria que pagar uma bebida para o vencedor: quem levou a melhor foi o City.

Feliz após o título nacional, Summerbee foi comemorar no cabaré que frequentava com o amigo do United. Mas confessou que não esperava vê-lo ali naquela noite, pela dor da derrota. E George Best realmente estava triste por não ter levado o troféu para Old Trafford, mas também queria cumprir com o acordo e, sobretudo, curtir o momento feliz do seu grande amigo. 

O craque do time vermelho já estava esperando o herói do dia na mesa do estabelecimento, com várias bebidas e copos. Uma grande comemoração para o amigo, mas com uma pontinha de dor pelo seu querido United.

Best faleceu em 2005, mas segue vivo nas lembranças de Mike Summerbee, que fala volta e meia sobre o eternamente famoso camarada. Amizade que não morre, assim como a rivalidade e as histórias entre Manchester City e United.