Notícias Placares ao vivo
Copa do Mundo feminina

Trump x Rapinoe: discussão sobre ida à Casa Branca vai além do futebol feminino

18:32 BRT 27/06/2019
Donalld Trump Megan Rapinoe
Jogadora que luta contra a opressão das minorias disse que não iria a Casa Branca após convite de Donald Trump

Capitã da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos, Megan Rapinoe reitera os valores pessoais dentro e fora de campo. Uma das principais jogadoras da equipe norte americana, Rapinoe se envolveu, nesta semana, em polêmica com o presidente estadunidense, Donald Trump.

Classificadas às quartas de final da Copa do Mundo, a equipe dos Estados Unidos recebeu apoio de Trump por meio das redes sociais. Na ocasião, o presidente conhecido por ser de direita, convidou as atletas para uma visita na Casa Branca, caso o time conquistasse o Mundial. Rapinoe, por sua vez, negou o convite.

Ao ser questionada sobre a recusa, a jogadora de 33 anos respondeu de forma objetiva: "eu não vou para a p...da Casa Branca". Sem abandonar os princípios que a tornaram apoiadora das causas como igualdade de gênero e direitos LGBT+, Rapinoe segue cumprindo papel de líder dentro e fora de campo.

Megan Rapinoe que tornou pública a própria homossexualidade em 2012, três anos antes de erguer o troféu de campeã do mundo com a seleção, ainda colabora com organizações voltadas para a luta contra a homofobia no mundo do esporte e causas relacionadas com a justiça social.

Com ideais diferentes de Trump que ao ser eleito presidente retirou do site da Casa Branca as menções a comunidade LGBT+, construiu o muro na fronteira entre Estados Unidos e México e já deixou claro a posição contra imigrantes, Rapinoe chegou a fazer um protesto político durante exibição do hino nacional contra a violência racial e a opressão das minorias.

Após a resposta da atacante, Donald Trump usou as redes sociais para criticar a atitude de Rapinoe que, segundo ele, teria desrespeitado o país. Trump que ressaltou ser um grande fã da seleção, aproveitou a ocasião para provocar a atleta ironizando, “primeiro você deve VENCER depois FALAR”.

Donald Trump fez novo convite para o time mas, desta vez, com os Estados Unidos vencendo ou não a Copa do Mundo.

Em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (27), antes da final antecipada entre França x Estados Unidos pelas quartas de final do Mundial, na próxima sexta-feira (28), Megan Rapinoe rebateu as críticas de Trump ao comentar novamente sobre a futura ausência. A atacante provocou o político americano ao ressaltar que irá orientar as companheiras de equipe a não aceitarem o convite.


(Foto: Getty Images)

“Mantenho meu comentários sobre não querer ir na Casa Branca. Com exceção do palavrão, porque minha mãe não ficaria orgulhosa. Mas mantenho minha posição. Em caso de vitória aqui, prefiro não ir por causa dos meus valores. Vou aconselhar minhas colegas a fazerem o mesmo”, disse.

Uma das pessoas mais influentes do esporte nos Estado Unidos ao lado da companheira de seleção Alex Morgan, Megan Rapinoe usa o futebol como meio de luta pelas causas que defende, os quais deixa claro durante as comemorações de gols, execução do hino nacional, detalhes no uniforme e até mesmo recusar o convite de Donald Trump.