Técnico da Islândia admite estar “desapontado” com eliminação, mas elogia equipe: “Fizemos tudo o que podíamos”

Comentários()
Getty Images
Heimir Hallgrímsson não conseguiu esconder abatimento após despedida da Copa com derrota por 2 a 1 para a Croácia

banner Copa 2018

Uma das sensações da Copa do Mundo, a Islândia estreou na Copa do Mundo com um surpreendente empate diante da Argentina e deu a impressão de que poderia brigar pela classificação No entanto, acabou sendo derrotada pela Nigéria e nesta terça-feira (26) pela Croácia, ficando na lanterna do Grupo D, com apenas um ponto.

Visivelmente abatido com a derrota por 2 a 1 para a Croácia, o técnico Heimir Hallgrímsson admitiu estar “desapontado”, mas elogiou o desempenho da equipe.

“Ficamos a um jogo de ir adiante, tivemos chances de ir às oitavas. Não podemos ficar mais desapontados que isso. Mas o mais importante é que podemos olhar para os olhos um do outro e dizer: fizemos tudo o que pudemos. Estou desapontado, mas acima de tudo, orgulhoso dos meus jogadores. Fizemos tudo o que podíamos. É a vida, é o futebol. um jogo bonito, mas, que, às vezes, pode ser duro”, afirmou.

Iceland Manager World Cup
(Foto: Getty Images)

“Nós sabiamos da nossa posição e ficamos recebendo atualizações da partida entre Argentina e Nigéria. Sabíamos da situação o tempo todo, mas não tinha outro jeito. Tivemos que ter paciência e esperar pelo gol da Argentina. Nosso jogo foi o que esperávamos, eles tiveram mais posse de bola. Não jogamos muitos jogos como esse. Criamos muitas chances, não desistimos. Gostaria de parabenizar a Croácia pelo jogo. É impressionante o que eles tao jogando nesse torneio. Desejamos a eles o melhor”, completou.

Hallgrímsson ainda fez questão de ressaltar que o principal legado que fica para a Islândia é ter conseguido criar uma identidade.

“O que fizemos nos últimos seis anos foi achar uma identidade para a equipe nacional. Descobrimos como devemos jogar. Descobrimos como trabalhar, como nos desenvolver. E todos os jogadores aceitam o modo como jogamos. Trabalhamos juntos, dentro e fora do campo. Criamos uma identidade para o nosso futebol nacional. Agora sabemos quais valores e atributos precisamos ter. Vamos implementar nos nossos treinamentos. É algo especial. E acho que é isso o que fizemos de melhor que os outros, nós descobrimos como nós podemos jogar futebol. Não tentamos imitar outra equipe, fomos os melhores que podíamos ser”, finalizou.

Mais artigos abaixo

Fechar