Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo de olho em marca histórica na final da Champions League

Comentários()
Getty Images
Merengues podem ser os primeiros a ganharem o prêmio de Melhor Jogador da Final mais de uma vez. Até o momento, 17 já conquistaram desde 2001

O Real Madrid enfrenta o Liverpool neste sábado (26) visando escrever seu nome na história do futebol mundial se conseguir a terceira vitória consecutiva na Champions League (e a quarta em cinco anos). E com tal equilíbrio de sucessos, há muitos dos jogadores merengues envolvidos que estão prestes a conquistar marcas individuais. Por exemplo, neste momento, Cristiano Ronaldo se tornou o artilheiro da final (desde que ele é chamado de Liga dos Campeões), com quatro gols. Zidane pode ser o maior treinador vencedor ao lado de Bob Paisley e Carlo Ancelotti. E há também outro recorde disponível para Sergio Ramos e CR7 nesta final em Kiev: ser o primeiro jogador a ganhar o prêmio de Melhor Jogador da Final.

Por um lado, o defensor foi escolhido como melhor jogador na final de 2016, em Milão, depois de ter marcado o gol no tempo regulamentar (1-1). Curiosamente, em 2014, quando ele marcou o tento mais valioso contra o Atlético, aos 93 minutos, o prêmio foi dado para Ángel Di María, também chave na partida.

Por outro lado, Cristiano Ronaldo foi escolhido como melhor jogador na última final em Cardiff, depois de marcar dois gols na vitória contra a Juventus.

E o fato é que, desde que este prêmio foi institucionalizado em 2001, nenhum jogador conseguiu repetir a honra. Lógico, por um lado, uma vez que não é usual jogar muitas finais de UCL, e nesse extremo, não é normal ser também o melhor jogador da partida. Nem mesmo sendo o craque português (que já jogou cinco finais), ou Lionel Messi (um prêmio em quatro finais).

Até o momento, Oliver Kahn, Zidane, Maldini, Deco, Gerrard, Eto'o, Inzaghi, Van der Sar, Xavi Hernandez, Diego Milito, Messi, Drogba , Robben, Di María, Iniesta e Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo conquistaram o feito. Os únicos dois presentes em Kiev capazes de reeditar tal honra.

Fechar