►Sem culpa! Presidente do São Paulo diz que diretoria não teve responsabilidade por fracasso de Ceni

Comentários()
Leco concedeu entrevista coletiva para explicar a demissão de Rogério Ceni, nesta segunda-feira.

O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, interrompeu uma reunião no fim da tarde desta terça-feira (4) para explicar os motivos que levaram a demissão do técnico Rogério Ceni na última segunda-feira (3).

“Peço desculpa que a disponibilidade não é tanta porque estamos tratando das questões decorrentes da saída de Rogério Ceni, por quem tenho imenso respeito e apreço. A circunstância da saída dele não modifica em absolutamente esse aspecto. Ela se deu somente em razão de que o projeto desenvolvido sofreu percalços e pelo fato do São Paulo não ter conseguido os resultados desejados, com eliminações e a situação difícil em que nos encontramos no Brasileiro. Acabamos nos obrigando a uma decisão seguida de profunda reflexão que se desenvolveu ao longo dos últimos dez dias. Essa trajetória descendente precisaria ser interrompida”, discursou Leco.

“Foi serena e respeitosa com ele, inclusive com a segurança de estar, de certa forma, protegendo uma figura histórica, da tradição do São Paulo, um de seus maiores ídolos. Infelizmente, em razão de novo momento e trabalho, vinha sendo objeto de desgaste para a figura dele, algo que não merecia. Por essa razão é que ocorreu a deliberação que tomamos e ela, enfim, certamente causou comoção. Causou contrariedade, mas também compreensão a muitos. Posso assegurar diante de tantas manifestações que tive conhecimento”, acrescentou.

Carlos Alberto Barros e Silva Leco São Paulo apresentação 08122016
(Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação)

Leco ainda disse que a diretoria não tem culpa direta pelo fracasso do trabalho de Rogério Ceni, que durou exatos 207 dias.

“A diretoria não tem nenhuma responsabilidade direta. A diretoria teve a coragem de contratá-lo, sendo uma figura desconhecida e novata no tema direção técnica. A diretoria confiou no seu trabalho e deu todas as condições de realizá-lo. Isso é inegável. A diretoria acabou concluindo que uma trajetória descendente para a história dele e do clube merecia ser feito algo. Preferimos agir”, afirmou.

Rogério Ceni Leco treinador entrevista São Paulo 08 12 2016
(Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC/Divulgação)

Sobre o pagamento da multa rescisória de R$ 5 milhões prevista no contrato, Leco disse que esse é um assunto interno, mas que será necessário realizar o acerto com Ceni.

“Em relação a multa, será algo de âmbito interno. O São Paulo cumprirá à risca tudo que estiver determinado. Serão feitos ajustes com ele. O Rogério esteve aqui hoje. O relacionamento com ele não será interrompido. As portas não estarão fechadas”, finalizou.


VEJA TAMBÉM:


Fechar