Seleção: como os jogadores da Copa do Mundo 2018 se saíram desde então?

Comentários()
Getty
Goal relembra como foi a trajetória de alguns dos principais nomes que estiveram na Rússia, e o desempenho de cada um até hoje

Após mais de quatro meses de espera, a Seleção Brasileira volta a campo para dar o pontapé inicial da temporada 2019 nesta data FIFA de março: de olho na Copa América em casa, o time do técnico Tite terá seus primeiros amistosos do ano contra Panamá (neste sábado, 23) e República Tcheca (terça, 26).

Na lista dos convocados, alguns jogadores entraram como novidade, enquanto outros, considerados indispensáveis no passado, deixaram de ser as primeiras opções de Tite.

Desde a eliminação do Brasil na Copa do Mundo de 2018, nas quartas de final, muitos jogadores passaram a viver momentos bastante diferentes em seus clubes. Alguns foram prontamente negociados, enquanto outros tiveram seus esforços reconhecidos e acabaram contratados por clubes europeus de maior poderio financeiro e técnico.

E você, ainda lembra dos nomes que levaram a Seleção a ficar pelo meio do caminho na Rússia? Veja abaixo a lista de alguns dos principais nomes que estão e estiveram recentemente defendendo o Brasil, e como tem sido o desempenho deles em seus respectivos clubes.


Convocados para os amistosos


2019_1_2_alisson
(Foto: Getty)

Alisson

O ex-goleiro da Roma, titular no Mundial, recebeu a proposta para fazer parte do elenco do Liverpool em um valor de cerca de R$ 322 milhões (62,5 milhões de libras fixos e mais 10 milhões de libras em variáveis), até então uma quantia recorde à época.

Desde sua contratação, em 19 de julho de 2018, o goleiro ocupou a vaga de titular absoluto, e tem contribuído para os Reds entrarem, e se manterem de vez, na disputa pelo título da Premier League com o Manchester City.

No último dia 8 deste mês, Alisson recebeu o prêmio de melhor arqueiro de 2018 concedido pelo Globe Soccer Awards, em evento organizado pelas associações europeias de clubes e de agentes de jogadores.

Ederson Brasil amistoso 09 10 18
(Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

Ederson

O goleiro reserva do Mundial da Rússia já fazia parte do elenco do Manchester City durante a competição.

Ederson foi contratado pelo clube inglês em julho de 2017, e desde então tem mantido a sua posição de titular, ajudando principalmente na conquista da Premier League 2017/18. Segue inquestionável sob as traves dos Citizens.

Na última terça-feira (19), Tite esboçou a equipe que entrará em campo neste sábado (23) contra o Panamá, com Ederson como titular.

Fagner-Brazil
(Foto: Getty)

Fagner

O lateral-direito do Corinthians foi convocado após o corte de Dani Alves, em função de uma nova lesão no joelho esquerdo.

Fagner já era referência no Timão antes da Copa do Mundo. Neste ano, segue a ser um dos líderes e referências do elenco alvinegro e, mesmo contestado, segue com prestígio junto ao técnico Tite.

Thiago Silva Brasil treino 04092018 Nova Jersey
(Foto: Pedro Martins/MoWa Press)

Thiago Silva

O zagueiro é um dos maiores ídolos do PSG e capitão da equipe desde sua chegada, em 2012. Recentemente, chegou até a se naturalizar cidadão francês.

Na Seleção, entretanto, Thiago disputa vaga com Miranda, diferentemente do que aconteceu nos duelos em solo russo. Para os amistosos de março, o técnico decidiu que o jogador da Inter de Milão seria titular na partida contra o Panamá, enquanto Thiago seria escalado contra a República Tcheca.

Desde a eliminação do Brasil no Mundial, defendeu o PSG em 22 partidas da Ligue 1, onde o clube lidera com folgas, e sete pela Champions League, antes da eliminação para o Man United.

Miranda Inter
(Foto: Getty)

Miranda

Zagueiro da Inter de Milão desde 2015, Miranda já não atua com a mesma consistência. Nesta temporada, o ex-jogador do São Paulo tem ocupado com mais frequência o banco de reservas dos Nerazzurri, participando de apenas 15 partidas em toda a temporada.

Embora tenha admitido, em entrevista coletiva, que ainda não está pensando na Copa do Catar de 2022, Miranda talvez já veja mais próximo o seu adeus à seleção canarinho.

Casemiro Real Madrid LaLiga
(Foto: Getty)

Casemiro

O volante teve grande participação na Copa do Mundo de 2018, sendo titular na maioria dos confrontos. Já na equipe do Real Madrid, onde joga desde julho de 2015, manteve o status de titular absoluto mesmo em meio às sucessivas crises pela qual passou o clube de agosto pra cá.

Mesmo com a contribuição em campo frequentemente positiva, o brasileiro acabou se tornando um dos 'vilões' da humilhante goleada sofrida pelo Ajax, em pleno Bernabéu, que acabou jogando fora a vantagem construída nas oitavas da Champions League. Era o adeus ao sonho do 14º título europeu.

Casemiro é uma peça fundamental na equipe de Tite, que confiou a ele a braçadeira de capitão para os confrontos do Brasil nos próximos dias e, quem sabe, futuramente para a Copa América.

Danilo, Manchester City
(Foto: Getty)

Danilo

O lateral-direito do Manchester City não é protagonista, embora tenha chegado com status para tal em 2017, quando se transferiu do Real Madrid: participou de apenas oito partidas na Premier League 2018/19, além de duas pela Champions League.

Estreou pela Seleção em 2011, no clássico contra a Argentina, após ter participado do Campeonato Sul-Americano Sub-20.

Na Copa do Mundo de 2018 foi convocado para substituir Daniel Alves. Após a estreia contra a Suíça, Danilo sentiu dores no quadril e perdeu os jogos seguintes. Na véspera da partida pelas quartas de final contra a Bélgica, sofreu uma nova lesão, desta vez no tornozelo esquerdo, eliminando qualquer possibilidade de atuar novamente na Rússia.

Marquinhos PSG 2018-19
(Foto: Getty)

Marquinhos

O defensor do Paris Saint-Germain é um dos jogadores principais do plantel de Thomas Tuchel - atuando como zagueiro e até mesmo como volante. Nesta temporada, Marquinhos participou de 24 partidas da Ligue 1, e de outras sete disputadas na Champions League - incluindo a dolorosa eliminação para o Manchester United.

Durante a Copa do Mundo da Rússia, entrou em campo somente nas oitavas de final, contra o México. Mas é tido como um nome certo para liderar a transição de gerações na Seleção.

Roberto Firmino, Liverpool
(Foto: Getty)

Roberto Firmino

Titular absoluto do Liverpool, o centroavante já esteve presente em 29 partidas com a Seleção, computando oito gols até agora.

Chegou aos Reds em julho de 2015 e desde então vê o seu desempenho só melhorar.

Philippe Coutinho Barcelona 2018-19
(Foto: Getty)

Philippe Coutinho

O atacante do Barcelona vem enfrentando má fase dentro da equipe catalã desde que marcou um gol pelo clássico contra o Real Madrid, em novembro de 2018.

Na Copa do Mundo da Rússia ele se destacou brilhantemente fazendo um golaço contra a Suíça, no primeiro confronto do Brasil no Mundial. Entretanto, não se destacou tanto nos jogos seguintes.

Nesta temporada, o jogador viu seu desempenho despencar no Camp Nou, realizando 16 partidas como titular e 10 entrando como substituto pela La Liga, além de se ver bombardeado pela crítica espanhola. Na Champions League, fez sete jogos como titular, e um como substituto.

Gabriel Jesus - Manchester City 2019
(Foto: Getty)

Gabriel Jesus

Jesus deixou o Palmeiras em 2016 para se juntar ao elenco de Pep Guardiola em 2017, e teve grande destaque nas últimas temporadas. Entretanto, sua temporada de 2018/19 com o City já não tem se mantido estável, e o próprio jogador reconhece que acabou “diminuindo” o rendimento após o Mundial.

O atacante fez sete partidas como titular na Premier League, e 16 como substituto. Já pela Champions League, entrou em 4 como titular, e uma como substituto. Mas viu suas credenciais diminuírem consideravelmente com o 'ressurgimento' do argentino Agüero, titular indiscutível e líder da artilharia do Campeonato Inglês.

No Mundial de 2018, Jesus não marcou gol em nenhum dos jogos da Seleção e foi um dos principais alvos da crítica, o que o levou a carregar uma marca negativa: é o primeiro centroavante da história do Brasil a não marcar gols nos quatro primeiros confrontos em uma Copa do Mundo.


Não convocados


Fernandinho Manchester City Liverpool 03012019
(Foto: Clive Brunskill)

Fernandinho

O volante defende o Manchester City desde 2013, e tem grande representatividade dentro da equipe, sendo titular absoluto do plantel de Pep Guardiola.

Nesta temporada, já atuou em 35 partidas pelos Citizens, marcando um gol e concedendo três assistências. Sua participação contribui diretamente para a boa temporada do clube na tabela da Premier League, a qual brigam pela segunda coroa consecutiva.

Fernandinho não participou de tantas partidas pelo Brasil durante a Copa de 2018, entrando na maior parte dos jogos como substituto. Entretanto, acabou sendo apontado como um dos culpados da eliminação para a Bélgica, em função de sua participação direta nos dois gols dos europeus.

Teria uma nova chance com Tite, mas, infelizmente para ele, uma lesão recente no joelho o impediu de ser novamente convocado.

Paulinho
(Foto: Getty)

Paulinho

Antes da Copa do Mundo da Rússia, Paulinho havia participado majoritariamente da temporada 2017/18 pelo Barcelona, na qual o clube se sagrou campeão de La Liga.

Porém, o veterano da Seleção Brasileira não teve uma participação marcante no Mundial da Rússia, mesmo com a insistência de Tite e, após a eliminação para a Bélgica - um dia depois, para sermos mais exatos -, o clube catalão anunciou o seu empréstimo para o Guangzhou Evergrande novamente.

Willian Chelsea 2018-19
(Foto: Getty)

Willian

O meio-campista vem sendo titular em quase todas as competições pelo Chelsea. Entretanto, a equipe não vive uma boa fase sob o comando do técnico Maurizio Sarri, italiano contratado na metade de 2018.

Willian participou de 22 partidas como titular na Premier League, e em outras cinco entrou como substituto. Já na Europa League, foi titular em oito confrontos e substituto em dois. Chegou a marcar sete gols até o fim de janeiro, mas viu sua contribuição minguar de lá pra cá.

Marcelo Real Madrid 2018-19
(Foto: Getty)

Marcelo

Após a saída de Zinedine Zidane na metade de 2018 e a eliminação na Copa do Mundo, o lateral-esquerdo acabou perdendo o seu protagonismo no Real Madrid, especialmente com o comando de Santiago Solari. A campanha de 2018/19 tem sido uma das mais atribuladas da história do clube, que busca se reestruturar para o futuro.

Em 2019, Marcelo não chegou a fazer dez jogos como titular, ficando de fora de jogos decisivos contra o Barcelona, pela Copa e pela Liga, e contra o Ajax, na Champions League.

Agora, com a saída de Solari e o retorno de Zidane ao comando, espera-se que o brasileiro, considerado por muitos já como um dos grandes da história do Real, retorne a seu posto de protagonismo e, especialmente, com um futebol que justifique seu tamanho dentro do Bernabéu.

O primeiro passo da diretoria Merengue, após a humilhante eliminação na Champions League para o Ajax, foi dispensar Solari e contratar Zidane de volta, o que pode ser uma fonte de esperança para um dos maiores ídolos do clube.

Fechar