Segundo pior trabalho da carreira e igual Paulo Bento: vale a pena manter Mano?

Comentários()
© Washington Alves/Cruzeiro
Cruzeiro não empolga nem engrena na temporada e sofre com muitas críticas

O ano de 2017 começou prometendo muitas alegrias para o torcedor celeste. O elenco que já era interessante e contava com ótimos jogadores como Sóbis, Robinho e Arrascaeta, ganhou o reforço de Thiago Neves. No início da temporada, mesmo com alguns desfalques, incluindo a principal contratação para a temporada, o Cruzeiro venceu 12 de seus primeiros 13 jogos e mostrou bom futebol em várias partidas, além de derrotar o rival Atlético-MG. Muitos apontavam a Raposa como favorita em todas as competições que disputasse.

No entanto, não foi bem assim na sequência do ano estrelado. O Cruzeiro perdeu o Campeonato Mineiro para o Galo na decisão e foi eliminado logo na primeira fase da Copa Sul-americana pelo Nacional, do Paraguai. O bom futebol passou a ser raro no time celeste, a defesa comete muitas falhas e não inspira confiança, e a equipe mostra enorme irregularidade. 

Na Série A do Brasileirão, depois de mais uma derrota para o Atlético-MG, a Raposa ocupa apenas o 13º lugar. Já na Copa do Brasil, vai decidir a vaga nas semifinais no Mineirão, contra o Palmeiras, mas no jogo de ida, no Allianz Parque, depois de abrir 3 a 0 no primeiro tempo, sofreu o empate na etapa final.

Não à toa, a pressão é imensa e a torcida protestou ao longo desta semana. Os mais cobrados são o presidente Gilvan de Pinho Tavares, o técnico Mano Menezes e o zagueiro Luis Caicedo, que até perdeu seu lugar no time titular e não vai começar jogando contra o Palmeiras, neste domingo, pelo Brasileirão.

Luis Kunty Caicedo Palmeiras Cruzeiro Copa do Brasil 28062017(Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro)

Curiosamente, Léo tem cometido mais falhas que o próprio Caicedo, que muitas vezes conserta os erros do companheiro. No entanto, o fato de Léo ser de Belo Horizonte, torcedor celeste desde a infância, capitão do time e possuir uma história vencedora no clube, parece pesar nas horas das críticas e decisões como essa.

O que mais chama atenção, porém, é Mano Menezes. O treinador possui, inegavelmente, um ótimo elenco e várias boas opções, mesmo com as frequentes lesões - o que tem acarretado em críticas ao departamento médico estrelado. Ele tem tomado algumas decisões acertadas e interessantes, mas também tem cometido algumas falhas, além de insistir em erros - como insistir em uma defesa frágil, por exemplo -, e vê novidades em sua carreira.

Mano Menezes é conhecido por ter feito bons trabalhos, conquistado torneios importantes e armado equipes interessantes e com defesas organizadas. No Cruzeiro de 2017, porém, além da ausência de conquistas e bons resultados, seu time é inconsistente. Mostra muita organização e variações táticas interessantes em algumas partidas, mas comete falhas incríveis, joga espaçado demais e sem muita organização e apresenta uma defesa muito frágil em outros jogos.

Mano Menezes Nacional Asuncion Cruzeiro Sudamericana 10052017(Foto: Daniel Piris/Light Press/Cruzeiro)

Não à toa, o início de Campeonato Brasileiro da Raposa de Mano é muito semelhante ao do criticado ex-treinador celeste Paulo Bento. Nas primeiras 11 rodadas do Brasileirão de 2016, o português conquistou 14 pontos com o Cruzeiro, tendo quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas, com 42,4% de aproveitamento. Os números são idênticos aos de Mano Menezes. A diferença está nos gols: no ano passado, foram 14 marcados e 15 sofridos, nesta temporada, são 11 tentos a favor e 12 contra.

Também existe diferença na situação dos times. O Cruzeiro de Paulo Bento ficou o tempo inteiro brigando contra o rebaixamento, e inclusive ficou no Z4 por sete rodadas. Já o time de Mano Menezes chegou a ficar na vice-liderança e não ficou próximo da zona da degola. Por outro lado, desde que chegou ao segundo lugar, o clube caiu de forma desastrosa tanto no rendimento quanto nos resultados. Além disso, em 2016, a Raposa venceu o Atlético-MG no Independência, por 3 a 2, com o português, enquanto em 2017, a equipe estrelada perdeu o clássico no último fim de semana, no Horto.

Mano Menezes Santos Cruzeiro Brasileirao Serie A 28052017(Foto: Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro)

Outro ponto interessante é que Mano Menezes vive, no Cruzeiro, sua segunda pior campanha na história do Campeonato Brasileiro. A única vez em que ele teve números e um aproveitamento pior (41%) no torneio, foi com o Flamengo, em 2013.

Mano Menezes tem qualidade e capacidade inegáveis, conhece o elenco, o clube e foi muito bem em suas duas passagens anteriores recentes pelo Cruzeiro. No entanto, o treinador sofre com as críticas, o trabalho tem altos e baixos, os resultados não são bons, o desempenho é irregular e, apesar de alguns bons momentos e boas ideias, deixa a desejar na maior parte da temporada, principalmente nos momentos decisivos, e isso mesmo com o técnico tendo um plantel interessante em mãos.

Com tudo isso, a situação ruim, a pressão e as críticas, fica o questionamento: vale a pena manter Mano Menezes? E caso ele seja demitido: quem o Cruzeiro poderia contratar para o seu lugar?

Próximo artigo:
Higuain fica no banco de reservas na final da Copa da Itália
Próximo artigo:
Di María culpa Van Gaal pelo seu fracasso no Manchester United: "Houve problemas com o técnico"
Próximo artigo:
Tudo o que você precisa saber sobre o Campeonato Paulista 2019
Próximo artigo:
Arsenal tenta tirar James Rodriguez do Bayern
Próximo artigo:
Benzema será operado, diz emissora de rádio
Fechar