"Salah pode igualar Messi se for menos egoísta", diz Wenger

Lionel Messi/Mohamed Salah
Ex-treinador do Arsenal acredita que o egípcio do Liverpool tem condições de chegar ao mesmo patamar do argentino que defende as cores do Barcelona

Mohamed Salah, estrela do Liverpool, possui semelhanças com Lionel Messi e pode se tornar ainda melhor se diminuir sua obsessão por gols, de acordo com Arsene Wenger.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Acesse o DAZN e teste grátis o serviço por um mês!

O ex-técnico do Arsenal, que recentemente sugeriu um possível retorno ao futebol, crê que o jogo do atacante dos Reds é comparável ao de Messi, mas ainda falta alguns ingredientes cruciais.

Além de mais alguns gols, Wenger também destacou que Salah precisa aprender quando buscar o gol e quando passar a bola a um companheiro de equipe.

"Ele está basicamente a 20 gols de distância, se você quiser ser o mais concreto possível", disse Wenger à beIN Sports.

"Mas ele é parecido com Messi. Ele ainda deve encontrar a consistência de Messi. Acho que ele é um bom finalizador, mas Messi é a coisa completa - ele também dá a bola final e Salah está um pouco obcecado agora ao terminar a luta. essa é uma dimensão que ele certamente terá quando ficar um pouco mais velho. Para encontrar o momento em que você tem que dar a bola e quando tem que terminar. Eu gosto muito dele, ele tem um enorme potencial ".

Na recente vitória do Liverpool por 3 a 0 sobre o Burnley, Salah foi criticado por não ter passado para Sadio Mane no segundo tempo, quando seu companheiro atacante estava em uma posição muito melhor.

Arsene Wenger visits Lusail Stadium 2022 Qatar World Cup

Enquanto Salah é a estrela da linha de frente do Reds, Mane e Roberto Firmino também têm atuado de maneira consistente pelo lado de Jurgen Klopp, com Wenger elogiando o atacante brasileiro, em particular por seu estilo de jogo desinteressado.

"Você esquece que o cara que se sacrifica um pouco é Firmino", disse ele.

"Como Luis Suarez fez por Messi e Neymar. Um cara que trabalha para o time, que trabalha para todos e faz com que brilhem. É muito difícil encontrar essa peça do quebra-cabeças - um atacante generoso".

Mais artigos abaixo

Desde que se afastou do Arsenal em 2018, Wenger evitou voltar direto à administração, mas admite que continua obcecado com o belo jogo.

"Eu precisava de mais tempo do que pensava para me distanciar do que fiz antes. Para realmente deixar isso se resolver. Eu me afastei e percebi que estava vivendo como alguém em coma por 35 anos e que acordou e viu algo diferente na vida. além de meu clube, meu jogo e meu trabalho. Eu ainda assisto quando acordo de manhã - na minha cabeça o futebol. Meu interesse principal ainda está lá".

Fechar