Notícias Placares ao vivo
Flamengo

Rubro-Negro, Kayke explica foto com a camisa do Fluminense e relembra momentos no Fla

12:52 BRT 26/03/2020
Kayke Flamengo 08112015
Atacante defende hoje as cores do Qatar SC e guarda com carinho o tempo em que realizou "sonho de criança"

Cria das categorias de base do Flamengo, Kayke passou grande parte de sua vida profissional no clube, mas foi em 2015 que o sonho de menino se tornou realidade. Depois de passar por várias equipes mundo a fora, ele voltou ao Ninho do Urubu e em pouco tempo conquistou o carinho da torcida com seus gols e a entrega em campo. 

Mas em 2018, ao ser contratado pelo Fluminense, Kayke casou um nó na cabeça de torcedores de Fla e Flu. Na ocasião, o jogador utilizou as redes socias para postar uma foto de infância com a camisa Tricolor. Em bate papo com a reportagem da Goal, o atacante explicou o momento curioso.

"Meu pai era tricolor, assim como o meu avô, então ele me influenciava, como sempre acontece quando você é criança. Naquela foto eu tinha 4 anos de idade, ele colocava a camisa do Fluminense em mim, eu não tinha noção. Depois, quando eu fui crescendo e fui tendo noção das coisas, escolhi o meu time, o Flamengo. Em 1994, eu lembro, quando o Romário chegou no Flamengo, eu era criança, aí não teve jeito. Mas naquele momento, minha tia publicou a foto, eu achei bacana porque tem uma história toda com meu pai e eu estava chegando no Fluminense naquele momento. Não era problema, na minha carreira sempre tive respeito por todo clube que passei". 

Apesar do respeito pelo Fluminense, Kayke nunca escondeu a forte ligação com o Flamengo e curiosamente, um clássico diante do Tricolor, foi um dos momentos mais marcantes da carreira do atacante que também passou por clubes como Atlético-GO, ABC-RN, Santos e Goiás


(Foto: Buda Mendes / Getty Images )

"Um dos jogos que mais me marcou, de gols, foi em 2015, um Fla-Flu no Maracanã. Eu seria titular, o Guerrero estava na seleção peruana. Um dia antes, ninguém sabe disso, só a minha família, eu tive uma crise de labirintite, nunca tive isso. O Tannure me examinou e disse que era uma crise de ansiedade, eu não achava que estava ansioso, mas eu estava. No dia seguinte, indo para o jogo, no ônibus, fechei os fechei os olhos ouvindo música e torcendo para não sentir nada. Fiz o aquecimento, quando começou o jogo, logo no início coloquei uma bola na trave do Fluminense e o Maracanã veio abaixo com a torcida, naquele momento passou tudo, eu já não sentia mais nada. Depois eu fiz o gol, era um sonho de criança se realizando, toda a minha família estava no estádio, realmente inesquecível". 

Agora no Qatar, Kayke veste as cores do Qatar SC, ele teve a oportunidade de acompanhar o Flamengo no Mundial de Clubes e reencontrar ex-companheiros. Avaliando o momento do time Rubro-Negro, fez questão de rasgar elogios a Bruno Henrique, com quem fez boa dupla no Santos. 


(Foto: Getty Images)

"O Bruno Henrique tem um potencial gigantesco. A gente teve oportunidade de atuar juntos no Santos, ele estava em um momento muito bom. A gente fez uma ótima dupla, gols importantes na Libertadores, Bruno me dando alguns passes. Gabigol tem tido uma vida fácil ao lado dele. Apesar da qualidade o Gabigol, que na minha opinião é o melhor atacante do Brasil na atualidade, mas com o Bruno ao lado fica muito mais fácil". 

Aos 31 anos de idade, Kayke, assim como boa parte do mundo, está treinando em casa, uma vez que, por conta do coronavírus, o futebol no Qatar deu uma pausa. O atleta ainda não sabe como ficarão as competições por lá, mas segue rigorosamente a rotina de exercícios.