Notícias Placares ao vivo
Real Madrid

Real Madrid questiona La Liga por jogos realizados nos Estados Unidos

22:19 BRT 17/10/2018
Florentino Perez Real Madrid
O clube merengue se posicionou contra a decisão de Javier Tebas, presidente da Liga, por meio de uma carta

O Real Madrid formalizou, em carta para o presidente de La Liga, Javier Tebas, sua contrariedade à ideia de se realizar jogos do Campeonato Espanhol em Miami , e que sequer foi informado da oficialização do projeto. O clube ainda argumenta contra a realização de partidas nos Estados Unidos, duvidando do real benefício que a medida traria para o campeonato.

Em falas publicadas pelo jornal Marca, José Manuel Mateos, presidente da Aficiones Unidas, entidade que representa tocedores espanhóis, também desaprovou o projeto criado para a realização de jogos na América do Norte.

“Tebas diz que não precisamos participar, que o projeto vai acontecer. De primeira entendemos que não é uma boa notícia para os jogadores em ir jogar em Miami. E para nós, diz que os jogadores do Girona e do Barcelona estão de acordo”, disse ele.

Veja o que dizia a carta feita pelo clube merengue:

"O Real Madrid não pode estar convencido de que um dos jogos do campeonato da Primeira Divisão Nacional em que a nossa entidade participa pode ser jogado, por decisão voluntária, em um campo neutro. Surpreendente que tal pedido venha de quem deve manter uma posição de extrema imparcialidade. Surpreende a manifestação feita pela La Liga tendendo a tentar justificar um interesse com respeito aos torcedores, e que, curiosamente, não tenha levado isso em conta na hora de comercializar os referidos direitos de retransmissão, concedendo os direitos de emissão das partidas para os Estados Unidos pela beIN, cuja cadeia beIN Sports tem uma quota média anual de audiência de 0,02%”.

Ao ser informado que Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, desaprovou tal projeto na Assembleia de Comitês, Javier Tebas respondeu: “Era o que esperava”.

 A partida entre Girona e Barcelona, em Miami, está confirmada, em princípio, para ocorrer em 26 de janeiro, mas o tema é alvo de muita polêmica: recentemente até a Federação Espanhola de Futebol (RFEF) entrou na discussão, prometendo barrar a disputa do jogo em Miami.