Rafinha passa no teste para ocupar espaço em um Barcelona sem Messi

Rafinha Barcelona 2018-19
Getty Images
Brasileiro teve boa atuação e marcou gol na vitória sobre a Internazionale

"Todo o time" tinha dar um passo para frente como pedia o treinador Ernesto Valverde para substituir Lionel Messi sem comprometer o resultado, e os jogadores corresponderam. O grau de concentração e solidez foi o mesmo que durante quase toda a temporada passada, quando tirando algumas ocasiões, o Barcelona mostrou força onde fosse.

De algum modo, Valverde conseguiu que seus jogadores percebessem que, da necessidade - de substituir a razão de ser do jogo azul-grená - nascesse a virtude - o inquebrável rendimento contra a Inter de Milão em particular e na Champions, no geral. A Inter foi apenas uma convidada de honra para esta nova versão do Barcelona sem Messi que conseguiu se esquecer do argentino por meio do coletivo.

O Barça não concedeu um só chute ao gol em todo o primeiro tempo e, quando o fez, já no segundo, já ganhava por 1 a 0 após boa jogada de Luis Suárez, que culminou no gol de Rafinha Alcântara, eleito como substituto, não herdeiro, de Messi. O brasileiro foi o exemplo perfeito do que queria Valverde. E em um contexto em que a ordem, a disciplina e o equilíbrio que apresentam seu perfil resultaram ser o remédio que o Barcelona precisava, cada vez mais longe do jogo, às vezes explosivo e às vezes não, de Ousmane Dembélé.

Sua apresentação contra o Sevilla não convenceu Valverde, que se inclinou para Rafinha, que deu o passo para a frente que o técnico pediu, saindo do campo visivelmente satisfeito após superar seu irmão Thiago como artilheiro após alcançar 12 gols com a camisa do Barça. Depois de sua saída, Jordi Alba estabeleceu o 2 a 0 definitivo dos Blaugranas.

Interessante que foi Semedo quem substituiu Rafinha, e não Dembélé. É uma boa prova de que o Barcelona aprendeu a andar, uma vez mais, sem o francês, e agora, com Rafinha. Suas características e seu gol levaram o Barcelona a liderar o grupo B da Champions League de forma isolada e chegar ao clássico contra o Real Madrid, no fim de semana, com muita moral.

Fechar