Que tipo de volante Miguel Ángel Ramírez quer para fazer o Inter jogar do seu jeito?

O treinador espanhol foi oficializado pelo Internacional e já chegou com uma lista de desejos para implementar o seu modelo de futebol

Agora é oficial: Miguel Ángel Ramírez, há meses especulado como novo treinador do Internacional, foi anunciado pelo clube gaúcho e assinou contrato até o fim de 2022. O espanhol, que fez excelente trabalho desde a base até o profissional do Independiente Del Valle, clube equatoriano que sob o seu comando foi campeão da Copa Sul-Americana em 2019, era um dos técnicos mais cobiçados por clubes brasileiros. Em momentos diferentes, esteve na mira de Flamengo e Palmeiras, mas o destino acabou o levando para o Beira-Rio.

E o novo chefe da casamata colorada já chegou ao clube com um pedido especial: deseja um meio-campista para ser o “clássico número 5”, atuando mais recuado no 4-3-3 pretendido pelo novo comandante. A notícia foi dada pelo jornal Zero Hora. O pedido já mostra o caráter autoral que o novo comandante busca implementar em suas equipes. Miguel Ángel Ramírez é um dos muitos adeptos do chamado “jogo de posição” – ou “jogo posicional” – que aqui pelo Brasil chegou a ser tratado de forma jocosa, em 2020, no rápido período em que o catalão Domènec Torrent treinou o Flamengo.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

As críticas mais ásperas e precipitadas sobre o “jogo posicional” aqui pelo Brasil foram pautados mais pela frieza do resultado do que qualquer outra coisa. O fato de o Independiente Del Valle, treinado justamente por Miguel Ángel Ramírez, ter vencido o Flamengo de Dome por 5 a 0 em duelo válido pela Libertadores de 2020 prova, de maneira bastante resumida, isso.

Inter terá “um Busquets” para chamar de seu?

O pedido de Miguel Ángel é por um meio-campista que consiga ditar o ritmo e controlar o jogo com a bola no pé, tanto através de passes curtos quanto em bolas mais esticadas, lançamentos. Rodrigo Dourado, por exemplo, terá o que provar para o novo comandante, seja para convencê-lo de que poderá ser este homem ou para buscar uma vaga em outra faixa do meio-campo.

Rodrigo Dourado Internacional 09092018 Dourado, em ação pelo Inter (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

A figura deste “camisa 5” que dita, praticamente como um metrônomo, o ritmo de jogo ficou imortalizada em duas gerações distintas que fizeram parte dos melhores momentos da história do Barcelona. No “Dream Team” comandado por Johan Cruyff no início dos anos 90, o papel era desempenhado por Pep Guardiola, que décadas depois viu em Sergio Busquets o jogador ideal para ser, dentro dos gramados, o seu herdeiro.

Sergio Busquets Josep Guardiola Barcelona Busquets e Guardiol (Foto: Getty Images)

Miguel Ángel Ramírez, contudo, não deseja apenas um “discípulo de Busquets” neste seu novo Inter. Se o jogo posicional consagrado por Guardiola no Barcelona tivesse um roteiro bem básico, ele reservaria capítulos especiais tanto para este meio-campista citado no parágrafo acima quanto para a importância de contar com bons pontas. Abertos pelos lados, eles conseguem abrir defesas adversárias através da amplitude e também atacam espaços através de infiltrações.

A chegada de Miguel Ángel Ramírez promete uma nova guinada no estilo de jogo do Colorado, algo bastante diferente do time mais reativo que, sob o comando de Abel Braga, ficou na segunda posição do Campeonato Brasileiro, a detalhes do título referente a 2020. Entregar as peças pedidas pelo novo técnico, assim como lhe dar tempo para aplicar o seu modelo de jogo serão as próximas tarefas a serem cumpridas pela diretoria do Internacional.

Fechar