Quando o ‘cai-cai’ embaraçoso decidiu jogos de Copa do Mundo

Comentários
O 'mergulho' em campo não escolhe campeonato para acontecer... e a Copa do Mundo é um dos maiores exemplos disso

A mania de se atirar em campo, na busca para enganar o juiz a marcar faltas ou pênaltis, está presente em todos os jogos de futebol. Desde as divisões mais baixas, passando pela Champions League e até mesmo na Copa do Mundo.

O maior torneio de futebol tem histórias espetaculares, mas também é possível relembrar lances em que um ‘mergulho’ acabou por decidir um jogo.


OS LANCES MAIS BIZARROS


Se você buscar na internet, poderá achar inúmeros lances de atletas se atirando em Copas do Mundo. Imagens constrangedoras, como Rivaldo fingindo ter sido acertado no rosto depois de ter levado uma bolada na coxa, em jogo contra a Turquia na Copa do Mundo de 2002 – vencida pelo Brasil.

Grosso Italia Australia Copa do Mundo 2006Grosso, no lance que eliminou a Austrália do Mundial de 2006 (Foto: Getty Images)

Quatro anos depois, a Itália tirou um grande proveito do mergulho de Fabio Grosso, lateral-esquerdo, nas oitavas de final contra a Austrália. Jogo difícil e sem gols até os 90 minutos, quando o italiano se atirou na área e conseguiu o pênalti convertido por Francesco Totti.

GFX Robben Holanda

Em 2014, no Brasil, a história se repetiu. No entanto, foi no embate de oitavas de final entre Holanda e México. A igualdade em 1 a 1 persistia até os acréscimos do segundo tempo, quando Arjen Robben se atirou cinematograficamente no gramado do estádio Castelão. O juiz deu pênalti e Huntelaar garantiu os holandeses na próxima fase – para a revolta dos mexicanos.

GFX Nilton Santos Collar 1962

Mais artigos abaixo

Outros lances, por outro lado, se transformam até mesmo em verdades absolutas quando não dão certo. Um exemplo clássico está no jogo entre Brasil e Espanha de 1962. A cena histórica é de Nilton Santos dando três passos para fora da área, ludibriando a arbitragem a marcar a falta ao invés do pênalti.

Entretanto, preste atenção na imagem e veja que o ponta Adelardo mergulha descaradamente. Ali, uma malandragem encobertou a outra. Mas o certo mesmo é buscar a extinção de lances que não contribuem em nada com a imagem de respeito e honra que o futebol, desde seus primórdios, busca passar.

A Copa do Mundo da Rússia está se avizinhando, e tão forte quanto o desejo por belos jogos, lances e muitos gols é o de ver jogadores sendo absolutamente honestos dentro dos gramados.

Próximo artigo:
Real Madrid observa Sterling de perto e pode fazer proposta ao Manchester City
Próximo artigo:
Corinthians supera número de derrotas de 2007 e liga o alerta na briga contra o rebaixamento no Brasileirão
Próximo artigo:
O maestro e melhor garçom finalmente tem seu merecido protagonismo: brilha, Robinho!
Próximo artigo:
Maxi López corresponde e vira referência no Vasco
Próximo artigo:
A Conexão Francesa: Pablo - Boas coisas vêm para aqueles que esperam
Fechar