Quais jogadores da Inglaterra saíram em alta e quais saíram em baixa da Copa do Mundo?

Comentários()
Getty Images
O torneio mundial é sempre uma chance especial de demonstrar o seu talento; alguns souberam se aproveitar disso, já outros nem tanto

A Copa do Mundo foi um momento especial para os jogadores e torcedores da Inglaterra. A equipe, que chegou totalmente desacreditada, conseguiu um heroico quarto lugar na Rússia.

Uma seleção bastante renovada e muito jovem surpreendeu e conseguiu chegar onde a “Geração de Ouro” jamais chegou. A última campanha boa da Inglaterra tinha sido em 1990, quando também alcançaram a semifinal, contando com Gary Lineker.

Alguns altetas esbanjaram bom futebol, outros nem tanto. Quem saiu por cima da Copa do Mundo e quais saíram em baixa?


EM ALTA


Quem mais brilhou no torneio com certeza foi Jordan Pickford. O jovem goleiro do Everton, da Inglaterra, foi fundamental nas classificações da Inglaterra e protagonizou defesas impressionantes, principalmente nos jogos de mata-mata.

Harry Kane também não poderia escapar. O goleador do Tottenham foi o artilheiro da competição. Foram seis gols que garantiram o primeiro lugar entre os atacantes. Todavia, o rendimento de Kane caiu muito nos jogos eliminatórios, participando pouco das partidas. Três dos seis tentos foram contra o fraco Panamá. Mas mesmo assim, ele provou, mais uma vez, que não é só “um talento de uma temporada só”.

sweden england - maguire - world cup - 07072018Trippier, Stones e Kane comemoram o gol de Maguire contra a Suécia (Foto: Getty Images)

A Copa também foi muito boa para Kieran Trippier. O lateral dos Spurs marcou um golaço contra a Croácia e foi muito bem nos cruzamentos, no apoio ao ataque e também na composição defensiva como quinto zagueiro.

Ruben Loftus-Cheek England World Cup 2018Loftus-Cheek aproveitou bem a chance. Distribuiu 125 passes na competição, com 83% de aproveitamento e deu 12 dribles (Foto: Getty Images)

Ruben Loftus-Cheek também deixou boa imagem. O jovem de 22 anos não foi titular absoluto, mas sempre entrava bem nas partidas. Seu porte físico aliado a velocidade e boa técnica foram ótimos cartões de visita. John Stones também saiu valorizado do torneio. O zagueiro do Manchester City vinha encontrando problemas para se firmar como uma referência. Após a Copa, o defensor ganhará mais moral para brigar pela titularidade no concorrido time de Pep Guardiola. Harry Maguire também foi muito bem. Muitas vezes motivo de chacota por ser o famoso “cintura dura”, o jogador do Leicester fez uma Copa sólida defensivamente e ainda marcou um gol.


EM BAIXA


Raheem Sterling foi mal. Foi importante em alguns momentos e algumas puxadas de contra-ataque por causa de sua velocidade. Mas mesmo assim, deixou a desejar. Perdeu muitos gols, errava passes fáceis, tomava as decisões erradas e, embora participasse bastante das jogadas, não conseguiu entregar o que se espera de um camisa 10.

Raheem Sterling England 2018Sterling foi muito esforçado na Copa do Mundo. Mas tecnicamente se mostrou péssimo (Foto: Getty Images)

Dele Alli, por sua vez, foi uma decepção não exatamente por jogar mal, mas pela omissão. Ele marcou o segundo gol contra a Suécia que garantiu a vaga dos ingleses nas quartas, mas mesmo assim participou muito pouco. Na recomposição teve sua importância, mas na construção deixou a desejar. Pouco se apresentou como opção e, de acordo com as estatísticas, a maioria dos passes que tentou na competição foram para trás, na direção de Maguire. E perdeu talvez a melhor chance de sua vida de causar um impacto.

Confira os números da seleção inglesa na Copa do Mundo da Rússia:

Fechar