Protagonista absoluto "em casa", o "profeta" Griezmann brilha e enfim sai do zero

Comentários()
Getty
Atacante foi o grande nome da decisão e o cara do merecido título do Atlético de Madrid na Liga Europa

Header Gabriel Pazini

A decisão da Liga Europa era especial para Antoine Griezmann. E não apenas pela importância e pelo tamanho naturais de uma final.

Um dos melhores atacantes do mundo na atualidade, o craque francês buscava seu primeiro grande título na carreira. Isso mesmo. Aos 27 anos, Griezmann não tinha uma conquista de primeira grandeza como profissional, mesmo tendo enorme reconhecimento ao redor de todo o planeta.

O avante, afinal, foi eleito o terceiro melhor jogador do mundo, o jogador francês do ano, o craque de La Liga e o melhor jogador e artilheiro da Eurocopa, tudo isso em 2016.

No entanto, as únicas taças que ele tinha erguido até esta tarde eram a Segunda Divisão da Espanha, com a Real Sociedad, em 2010, e a Supercopa da Espanha, com o Atlético de Madrid, em 2014. Pela França, ele tinha ganho o Europeu Sub-19, em 2010, e bateu na trave na Eurocopa, em 2016.

Além disso, a decisão também era especial porque Griezmann a disputaria "em casa". Apenas 45 minutos de distância separam o palco da final de Mâcon, pequena cidade francesa onde nasceu o matador.

E como acontece dentro de campo, Griezmann não desperdiçou sua grande chance. "Em casa", o francês foi protagonista e brilhou absurdamente para enfim conquistar um grande título. Tudo como ele "previu".

Antoine Griezmann Atletico de Madrid Olympique Marsella OM UCL 16052018

O site oficial da Uefa publicou uma entrevista com o craque na véspera da decisão, e entre vários assuntos, o atacante destacou seu bom retrospecto no Groupama Stadium.

"É algo bonito disputar a final em Lyon, a 45 minutos da minha cidade. Muita gente da minha família estará lá e tomara que seja uma final feliz. Tenho boas recordações do estádio. Marquei dois gols lá na Eurocopa. Estávamos perdendo, mas conseguimos a virada. Também marquei um gol na Champions. A verdade é que é uma cidade que gosto muito e onde costumo me dar bem, e espero que continue assim", disse o jogador.

E continuou assim. Nesta tarde, o Olympique Marseille até começou melhor, criando mais chances e dominando as ações. Germain, inclusive, perdeu uma oportunidade incrível. No entanto, quando os franceses pareciam mais próximos do gol, quem abriu o placar foi o Atleti.

Adivinha quem marcou...

Antoine Griezmann

Mandanda tocou uma bola na fogueira para Anguissa, que "dominou" de forma bizarra, basicamente dando uma assistência para o camisa 7 colchonero abrir o placar, aos 21 minutos de jogo. 

A equipe francesa se esqueceu do básico contra os Rojiblancos: não perder chances claras no ataque, porque você terá poucas contra a forte defesa de Simeone, e não errar na defesa na frente de jogadores do gabarito de Griezmann e Diego Costa.

Onze minutos depois de marcar seu primeiro gol, o atacante voltou a brilhar, mas desta vez com uma atitude. Grande estrela do Olympique Marseille, Payet, que brilhou ao seu lado durante a Euro 2016 com grandes atuações pela seleção francesa, deixou o campo lesionado e chorando. Griezmann consolou o amigo, com quem pode disputar a Copa do Mundo.

Mas não parou por aí. Após o 1 a 0, o Atlético de Madrid cresceu na partida, equilibrou as ações e, com o tempo, passou a ser superior em campo. A superioridade foi premiada com mais um gol, aos quatro minutos da etapa final, novamente marcado por Griezmann, desta vez um belo tento, com o craque tocando com categoria e frieza por cima do goleiro.

Antoine Griezmann(Fotos: Getty Images)

Depois disso, o Atleti, que passou a apenas administrar a vantagem, ainda marcou mais um gol, e um tento emocionante, do capitão Gabi, um dos grandes símbolos da Era Simeone, fechando o placar em 3 a 0 e decretando o terceiro título dos Rojiblancos na Liga Europa.

Título que teve Griezmann como protagonista e peça fundamental. Não apenas na final, quando o francês transformou um jogo até então dominado pelo adversário e mudou a história da partida com seus dois gols, mas também nos outros estágios da competição.

O camisa 7, por exemplo, marcou o gol de empate em Londres e deu a assistência para o tento de Diego Costa em Madri, na semifinal contra o Arsenal, sendo vital para o avanço colchonero. Griezmann foi o artilheiro do Atleti na Liga Europa, com seis gols, e o vice-líder de assistências, com dois passes para tentos, atrás de Ángel Correa e Koke, que deram três cada.

GFX Antoine Griezmann Atlético de Madrid Liga Europa 2017/18

Em oito jogos na competição, o francês participou diretamente de oito gols. Na final, ele finalizou três vezes, sendo duas no alvo, e as duas entraram. Ao lado de Gabi, ele ainda foi quem mais deu passes (43) e participou da decisão pelo lado espanhol. Griezmann foi simplesmente absurdo e protagonista. Ele foi o grande craque dos Colchoneros na terceira conquista europeia, provando mais uma vez sua importância na equipe e a falta que ele fará caso realmente seja negociado com o Barcelona.

E não deixa de ser curioso. Sem ter oportunidades na França, o atacante precisou sair de casa aos 14 anos para poder seguir sonhando em se tornar jogador de futebol. Quem lhe deu a chance que ele tanto queria foi a Real Sociedad, onde se profissionalizou e brilhou antes de se tornar um dos melhores do mundo no Atlético de Madrid.

Treze anos depois de deixar Mâcon, Griezmann precisou voltar para a casa para finalmente conquistar seu primeiro grande título.

Próximo artigo:
Brexit deixa Bale com futuro incerto no Real Madrid
Próximo artigo:
Barcelona cumpre cláusula contratual e mantém retorno de Paulinho para futebol chinês cercado de mistério
Próximo artigo:
Guilherme Arana manifesta desejo de retornar ao Corinthians
Próximo artigo:
Mercado da bola: os principais rumores de Corinthians, São Paulo, Flamengo e os grandes clubes do Brasil
Próximo artigo:
Cáceres confirma contato do Flamengo e escreve mensagem para os torcedores
Fechar