Pés no chão, humildade e Cristiano Ronaldo: as cartas de Rafael Leão para não 'entrar nas estatísticas'

Comentários()
Rafael Leão - Sporting (Foto: Divulgação/Sporting)
Atacante português de 18 anos tem ganhado cada vez mais espaço no Sporting, mas reconhece que 'ainda não sabe nada'

O faro de gol de Bas Dost, a habilidade de Gelson Martins e, por fim, uma pitada especial do sucesso de Cristiano Ronaldo. É assim que Rafael Leão, a mais nova e badalada promessa do Sporting, traça os moldes durante o (longo) caminho para conquistar o futebol português. Um percurso com os pés no chão e sem queimar etapas.

Presente na prestigiada premiação do Goal NxGN , que elege os 50 melhores jogadores sub-19 a cada ano , o atacante de 18 anos, por enquanto, trabalha para "se firmar no time principal", por que reconhece que "ainda não sabe de tudo". Na verdade, como ele próprio avalia, "ainda não sabe nada".

"Sei que tenho muito para aprender e que a minha atitude, o meu empenho e o meu compromisso são partes fundamentais para que consiga atingir o sonho de me firmar. Ainda sou jovem e não tenho pressa para isso. Tenho, sim, uma grande vontade de evoluir e estou no lugar certo. Trabalho com seriedade e sem deslumbramentos. O treinador [Jorge Jesus] e toda a estrutura do Sporting me dão apoio, os meus companheiros mais experientes também me dão muitos conselhos, os quais tento seguir. Eles são todos segundos pais, irmãos e primos", destacou Leão, em entrevista exclusiva à Goal.

"Há muitos casos em que as coisas não correram bem para outros jovens, e eu não quero entrar nessa estatística. Não é por já ter jogado na equipe principal que penso que sei tudo. Aliás, ainda não sei nada. Tenho mesmo muito para crescer ainda, é o inicio de um sonho. Dou graças a Deus pela possibilidade que o Jorge Jesus me deu de estar com o time principal, mas também não posso esquecer os outros treinadores que tive na minha formação, como o João Couto, o Tiago Fernandes e o Luís Martins. Todos foram importantes", completou.

Sob o comando de Jesus, Rafael Leão, cuja multa rescisória está avaliada em 45 milhões de euros (cerca de R$ 185 milhões), já teve cinco oportunidades com a camisa alviverde na atual temporada, tendo marcado dois gols, o segundo deles diante do rival Porto, dentro do Estádio do Dragão.

"Marquei o primeiro gol no time de cima num jogo da Taça de Portugal [contra o ARC Oleiros], marquei o meu primeiro gol na Liga Portuguesa em cima do Porto, fiz a minha estreia em competições europeias com 18 anos... Estou muito feliz, mas consciente que ainda não provei nada no futebol. Tenho muito para aprender e evoluir. Eu serei aquilo que o trabalho vier a me transformar. É muito cedo para dizer o que serei. O que tenho é vontade de ser é um profissional exemplar, que vai trabalhar sempre muito forte e dar ouvidos a quem tem sucesso", explicou.

Mais artigos abaixo

Para alcançar o tão concorrido lugar ao sol, nada melhor do que se espelhar em grandes referências. No caso do jovem atacante, todos os exemplos estão ou estiveram no mesmo terreno.

"Gosto muito do Bas Dost, que fala bastante comigo nos treinos e me dá muitos conselhos. Aprendo muito com ele no momento de fazer gols. O Gelson Martins é também para mim uma referência. Faz coisas incríveis com a bola nos pés. Tento ir buscar um pouco dos dois para melhorar o que faço. Mas para mim o melhor do mundo é o Cristiano Ronaldo, que fez um percurso de sucesso com muito trabalho e, assim como eu, nasceu na Academia Sporting. É um exemplo a seguir", finalizou.

*Especial de Lisboa

 

Fechar