Palmeiras: “Se perde, é Segunda Guerra Mundial”, diz Alexandre Mattos sobre pressão

Comentários()
Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
O dirigente do clube alviverde reiterou que o objetivo de fazer do Palmeiras um protagonista vem sendo cumprido

Em 12 jogos disputados em 2019, o Palmeiras só foi derrotado uma vez – ainda que tenha sido no clássico contra o Corinthians – e somou sete vitórias. Na Libertadores, principal objetivo da temporada, o aproveitamento é de 100% após duas rodadas. Mesmo assim, a avaliação é de que a equipe treinada por Luiz Felipe Scolari pode apresentar um desempenho melhor.

As críticas, entretanto, não surpreendem o diretor de futebol alviverde Alexandre Mattos. Durante entrevista para o SporTV, o cartola falou um pouco sobre a pressão que existe por bons resultados no clube e reiterou que o Palmeiras vem cumprindo com o objetivo de ser protagonista.

"Se o Palmeiras empata, falam que precisa tirar 30 jogadores de lá. Se perde, é Segunda Guerra Mundial. Se ganhar dando espetáculo, é obrigação. A cobrança é insana. Qual é o limite? Só a Libertadores serve? O problema é que só um ganha", disse.

Alexandre Mattos Palmeiras 12012017(Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação)

"O Palmeiras deve ser um dos protagonistas, que é o que temos feito nos últimos anos. É isso que exigimos. Quando você faz o seu melhor e enxerga que todos estão fazendo o seu melhor, chega em casa, coloca a cabeça no travesseiro e pensa: perdemos, mas fizemos o nosso melhor".

"Existe um futebol interno e externo, que avalia de acordo com resultado ou produção. O que fazemos internamente mesmo as pessoas que entendem de futebol não veem porque não estão lá dentro. E não são todos os jogadores que darão certo", finalizou.

Fechar