Palmeiras dá crédito a Luxemburgo e vê time cascudo para a Libertadores

Comentários()
Pontos perdidos no fim incomodam, mas clube valoriza consistência e acredita em time com “pegada” para a Libertadores

O Palmeiras mais uma vez sofreu o empate no fim de uma partida. Desta última vez foi contra o Grêmio, domingo (20), na casa do adversário, desperdiçando a chance de se estabelecer de vez entre os líderes do Campeonato Brasileiro. No clube, porém, o "copo meio cheio" prevalece na avaliação do trabalho de Vanderlei Luxemburgo.

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

Campeão paulista, o treinador viu crescer a pressão sobre si pela falta de desempenho apresentada no Brasileiro. Um momento tenso se deu após a sequência do empate com o Goiás e a vitória sobre o Athletico, com atuações muito criticadas internamente.

Depois disso, porém, o Palmeiras conseguiu vencer os clássicos contra Santos e Corinthians, além de virar um jogo contra o Red Bull Bragantino. Combinados com o triunfo por 2 a 1 sobre o Bolívar, em La Paz, a diretoria considerou que o elenco está comprovadamente "cascudo" para encarar a Copa Libertadores.

Invicto há 16 partidas, o Palmeiras tem como claro objetivo o título continental para esse ano. O trunfo, na avaliação de duas pessoas ouvidas pela reportagem da Goal, é que o elenco já sabe jogar o torneio e, como diferencial, tem o surgimento dos jovens Patrick de Paula, Gabriel Menino, Gabriel Verón e Wesley.

O quarteto, linha de frente de uma geração multicampeã na base e que foi olhada com carinho por Luxemburgo, é visto como a chave para misturar a experiência adquirida recentemente no torneio e o espírito de luta palmeirense, pedido em diversos protestos recentes da torcida.

Além do título paulista e de ter montado esse time "cascudo", Luxemburgo é visto também como bom gestor de grupo. Os casos dos meias Lucas Lima e Raphael Veiga, cada um com uma boa atuação para chamar de sua nos últimos três jogos apesar da concorrência, foi citado.

A expectativa, porém, é que o clube feche o primeiro turno já com uma resposta diferente da atual, com um ataque que tenha maior fluidez de movimentos e criatividade na hora de construir suas oportunidades.

O elenco campeão paulista tem como próxima missão na Libertadores o Guaraní-PAR, fora de casa, tido como segundo adversário mais forte da chave. Caso vença o rival, reforçado e com boa campanha no campeonato nacional, o Verdão praticamente assegura o primeiro lugar da sua chave.

Fechar