Notícias Placares ao vivo
São Paulo

Paciência e tempo serão os primeiros desafios de Fernando Diniz no São Paulo

21:32 BRT 27/09/2019
Fernando Diniz São Paulo 27 09 2019
O novo treinador do Tricolor chega já sob pressão e sabe que precisa mostrar resultados rápidos

A diretoria do São Paulo surpreendeu ao anunciar, no mesmo dia em que Cuca comunicou sua saída, a chegada de Fernando Diniz para assumir o comando do time. Afinal de contas, um dos clubes que mais vem trocando de treinadores nos últimos anos resolveu apostar logo naquele que, dentre os brasileiros, provavelmente seja o que possui um trabalho mais autoral... e de difícil assimilação rápida por parte de um elenco de jogadores.

Acompanhe o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser: assine o DAZN e ganhe um mês grátis para experimentar

O Tricolor do Morumbi convive na gangorra entre a alta expectativa, motivada por grandes contratações, e a decepção por não conseguir o resultado que tanto almeja: ser campeão. Tendo o Brasileirão como único compromisso restante até o fim de 2019, está na sexta posição, a 13 pontos de distância de um Flamengo, líder, difícil de ser parado e tem 16 rodadas enquanto sonha por um milagre. A situação é difícil, as exibições sob o comando de Cuca não eram boas e a obrigação para ver o cenário mudar existe.

Fernando Diniz - o décimo treinador na gestão do presidente Leco - gosta de times que valorizam a posse de bola e criam um bom número de chances no ataque. A sua forma de pensar o futebol é boa, mas não é das mais simples e levaria tempo para ser assimilada. Tanto, que em seus dois trabalhos anteriores (Athletico e Fluminense) a pré-temporada de início de ano teve grande importância, embora os resultados não tenham sido dos melhores no decorrer das campanhas – ainda que a equipe carioca tenha um elenco abaixo de suas tradições, e que viu o desempenho piorar após sua saída.

Se geralmente pautou seu trabalho colocando, primeiramente, o desempenho à frente do resultado, no São Paulo Diniz sabe que precisará mudar um pouco este ponto de vista. Ainda que na verdade uma coisa não esteja diretamente ligada à outra: um desempenho ruim também não garante resultado bom. Muito pelo contrário, enquanto, nas palavras do próprio técnico, “se você jogar bem, você tem mais chance de ganhar”. A questão é: qual será o tamanho da paciência do São Paulo e de seu torcedor?

O primeiro desafio de Fernando Diniz será neste sábado (28), justamente contra o poderoso Flamengo. O novo técnico comandou apenas um treino, e no seu entorno o clima já é de pressão. A principal torcida uniformizada do São Paulo, por exemplo, já recebeu a chegada do comandante com críticas: “somos todos palhaços”, escreveram em suas redes sociais.

Com Dani Alves, Juanfran, Pablo e Hernanes, Fernando Diniz terá à disposição a melhor oferta de bons jogadores sob o seu comando. Foi um dos motivos que o levou a classificar esta oportunidade como a maior de sua carreira, mas ainda que tenha deixado claro que vai buscar devolver o “DNA do São Paulo de Telê Santana” ao Morumbi, também surpreendeu ao dizer que “se precisar ser mais reativo, a gente vai ser”. Na prática, o importante é ver, antes de qualquer coisa, como o elenco se sente mais à vontade para jogar bola.

Paciência: o quanto diretoria e torcida terão? Esta é a grande pergunta neste início de Fernando Diniz sob o comando do São Paulo, o seu primeiro grande desafio. O segundo, é o tempo em si. Se conseguir sobreviver para 2020, aí sim o técnico poderá ficar mais à vontade para dar a sua cara ao time

“Eu perguntei para o Guardiola e ele disse que em um ano não dá para fazer nada. O Klopp diz que não dá para fazer em três anos. Aqui é diferente e a gente tem que trabalhar (...) Tempo é subjetivo. Não dá para falar quanto tempo precisa. Todos querem vencer. Esperamos vencer o quanto antes, para sedimentar o trabalho. Mas tempo é relativo”, sacramentou.