Oliver Kahn avalia atuações dos goleiros na Copa do Mundo da Rússia

Comentários()
Getty
Além de acompanhar o futebol, aos 49 anos, Kahn se dedica aos projetos pessoais

Oliver Kahn entrou para a história do futebol alemão como um dos maiores goleiros do país. Conhecido por seu temperamento explosivo, o “guarda-redes” viveu momentos de amor e ódio com os torcedores. Cercado de polemicas, o ex-número 1 do Bayern de Munique ficom com o vice-campeonato da Copa do Mundo, em 2002, após a derrota para o Brasil por 2 a 0. Na ocasião, Ronaldo fenômeno marcou os dois gols da finalíssima, na conquista do Pentacampeonato.

Hoje em dia, o ex-atleta se dedica à GoalPlay, uma empresa voltada para o desenvolvimento de goleiros, e à GoalPlay Academy, que lida com a educação de treinadores. Kahn conversou com a Goal e comentou sobre as atuações dos goleiros na Copa do Mundo Rússia 2018.

Oliver Kahn
(Foto: Getty Images)

Melhores goleiros da Copa 2018

"Eu vi alguns fortes goleiros na Copa do Mundo, que dominam muitas das disciplinas básicas do jogo: por exemplo, Hugo Lloris é um dos melhores goleiros do mundo. Thibaut Courtois é excepcionalmente forte no um a um e tem um grande controle. E Danijel Subasic foi capaz de construir sua autoconfiança por muitas penalidades defendidas”.

Avanço da posição de goleiro

“Melhorar as técnicas com os pés dos goleiros nos últimos 25 anos quase não teve influência sobre o jogo. A menos que seja usado ​​de acordo como o envolvimento do goleiro na partida”.

Potencial do goleiro em campo

“O goleiro é o jogador que menos faz parte da estrutura do jogo, mas poderia ser a medida mais óbvia e lógica para fazer em uma variedade de situações na partida, e assim, criar uma vantagem clara”.

Próximo artigo:
Sem perder o humor: Guingamp zoa após ser humilhado pelo PSG
Próximo artigo:
Sergio Ramos analisa vitória do Real: "Quando queremos, damos o nosso melhor"
Próximo artigo:
Arsenal 2 x 0 Chelsea: Em casa, Gunners levam a melhor
Próximo artigo:
De virada, Firmino exalta vitória do Liverpool: "jogo emocionante"
Próximo artigo:
Ancelotti: "Como treinador, devo tudo a Zidane"
Fechar