“Não existe alternativa”, diz procurador do TJD sobre exclusão do Fluminense

Comentários()
Lucas Merçon/Fluminense FC/Divulgação
Do outro lado, diretora jurídica do clube garante que o Tricolor não entrou com ação na Justiça Comum

A situação envolvendo o futuro do Fluminense no Campeonato Carioca 2019 promete ser uma longa novela. Nesta segunda-feira (18), o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) pediu a exclusão do clube no estadual por causa das polêmicas envoltas na decisão da Taça Guanabara, vencida pelo Vasco no último domingo (17).

Responsável por fazer a denúncia, o procurador-geral do TJD-RJ, André Valentim indicou que a única pena possível para o Tricolor é a exclusão do Campeonato Carioca. "Não existe alternativa", disse em entrevista para a Fox Sports. "A única pena que tem é a exclusão. Não tem outra alternativa. Infelizmente é exclusão e multa. Agora, eu tenho que trabalhar com o material que eu tenho. É esse artigo. O que eu vou fazer? Descobriu, eu tenho que denunciar".

Apesar das palavras, André Valentim não garantiu que o Tricolor poderá ser de fato excluído. A decisão será tomada nos próximos dias: “Eu só denunciei, quem julga são os auditores”.

Em resposta, a diretora jurídica do Fluminense, Roberta Fernandes, garantiu que não existe nenhuma possibilidade de o clube ser excluído do campeonato e citou que o Vasco omitiu informações do contrato que garantiria o direito da equipe das Laranjeiras ficar no setor sul do Maracanã. Além disso, Roberta também explicou que o Fluminense não acionou a Justiça Comum em nenhum momento.

"Ao contrário do que foi dito pelo procurador André Valentim, o Fluminense não entrou em momento nenhum na Justiça Comum para litigar sobre essa questão. Seja contra a federação ou contra o Vasco. Existe uma ação em curso na 37ª Vara Cível, desde 2017, em que o Fluminense litiga contra o Consórcio Maracanã. E foi exatamente neste processo, o Fluminense atravessou uma petição para fazer valer o seu direito previsto em contrato", disse, também para o Fox Sports.

"O Fluminense não entrou com uma ação nova, não entrou com uma ação contra a federação, contra o Vasco. O Fluminense fez valer o seu direito dentro de uma ação que já existe. Um litigio que existe entre o Fluminense e o consórcio. o contrato é cristalino em relação a esse direito, não há discussão quanto a isso. Tanto isso é verdade que nós temos três decisões confirmando exatamente a nossa posição".

"O que houve, na verdade, foram reiterados descumprimentos de ordens judiciais. Em momento nenhum entramos com uma ação na Justiça Comum", explicou, antes de garantir que o Fluminense vai se defender “de todas as formas”.

Fechar