Momentos Campeões: Mundial é marcado pelo VAR, bola parada e pelo nascimento de uma nova geração de craques

Comentários()
Getty Images
Copa da Rússia terminou com 40% dos gols nascidos de bola parada, 17 mudanças pelo vídeo e a consagração de jogadores como MBappé e Modric

Após 32 dias, 64 jogos, 169 gols e uma França bicampeã mundial, chegou ao fim no último domingo (15) a Copa do Mundo da Rússia. Para a história, fica um dos mundiais com o maior número de gols na história, a implementação do VAR no maior palco do futebol e a ascensão de uma nova geração de atletas, que promete ditar os rumos do esporte na próxima década.

Advertisement

Foi a Copa do gol de bola parada. Ao todo, foram 23 tentos nascidos de escanteio, 22 de pênalti, 23 a partir de cobranças de falta e até dois gols criados à partir de lateral. Um total de 70 gols, que representam mais de 40% das redes balançadas na Rússia.

Quem teve mais sucesso nesta estratégia foi a Inglaterra, que marcou nove dos seus 12 gols em jogadas assim. Cinco dos seis gols de Harry Kane, o artilheiro do Mundial, também nasceram de bola parada. Três foram de pênalti.

Harry Kane, England
(Foto: Getty Images)

A Inglaterra também foi responsável pela jogada ensaiada mais curiosa da Copa, o “trenzinho do escanteio”, em que os jogadores trocam a tradicional bagunça e troca de cotoveladas por uma fila organizada na área, inspirada em jogadas da NBA e da NFL. A novidade resultou em seis gols ingleses, cinco de cabeça.

Também foi a Copa do árbitro de vídeo. A principal novidade do Mundial foi responsável pela mudança de 17 decisões dos árbitros. A última delas foi justamente na final, quando foi marcado um pênalti para a França após toque de mão na área de Perisic.

Queda de gigantes, e de Neymar

A Rússia também presenciou a queda precoce de gigantes. O maior vexame ficou para a Alemanha, eliminada na fase de grupos com apenas uma vitória. Nas oitavas foi a vez da Espanha de Iniesta, a Argentina de Lionel Messi e o Portugal de Cristiano Ronaldo ficarem pelo caminho.

No caso do Brasil, a queda veio nas quartas de final. Para a equipe canarinho, o mundial ficou marcado pelo domínio belga no primeiro tempo do jogo final e as brincadeiras feitas com os exageros de Neymar ao sofrer faltas.

O craque brasileiro, com apenas dois gols na competição, acabou deixando a Rússia com a impressão de ainda não ser maduro o suficiente para liderar o Brasil ao hexa, apesar dos seus 26 anos.

2018_6_29_germany_kroos
(Foto: Getty Images)

 A Copa também provou que o clichê de ‘camisa pesa’ não é mais uma verdade absoluta no futebol, como mostrou a terceira colocada Bélgica vice-campeã Croácia. Os croatas provaram a sua força ao chegar na final apesar de jogarem três prorrogações em sequência. Modric, o maestro incansável da equipe, foi eleito o melhor jogador da competição

O Mundial de 2018 acima de tudo será lembrado pela jovem geração que levou a França ao bicampeonato. A segunda equipe mais jovem a desembarcar na Rússia, com média de idade de 26 anos, levantou a taça ao misturar um futebol de segurança defensiva com alta velocidade na hora de atacar.

A principal estrela desse time, Kylian Mbappé, 19 anos, sequer era nascido quando os Bleus conquistaram o primeiro Mundial em 1998, mas que brilhou nesta Copa com quatro gols e o prêmio de revelação do torneio. Foi dele o último gol na vitória francesa por 4 a 2 na final diante da Croácia.

A Copa do VAR, da bola parada e das jovens gerações também pode ser a última do modelo tradicional de Mundial. A próxima edição, em 2022, no Catar, será disputada em novembro, o que marca a primeira vez na história em que o torneio não será realizado no meio do ano.

A Fifa também estuda já utilizar sistema de 48 seleções, certo para 2026, no Oriente Médio. A mudança marcaria o fim do sistema  de 32 equipes, adotado desde 1998.

 

Próximo artigo:
Jornal: Flamengo está perto de contratar Jorge por empréstimo
Próximo artigo:
Real Madrid tem 'sim' de Éder Militão para junho, mas Porto quer receber o valor da venda agora
Próximo artigo:
Jornal: Barcelona descarta Morata e revê reforço para o ataque
Próximo artigo:
"Encanto especial" - FIFA acena positivamente sobre Copa do Mundo entre Portugal, Espanha e Marrocos
Próximo artigo:
Brasil no Sul-Americano Sub-20: elenco, destaques, comissão técnica e agenda de jogos
Fechar