Molhado por elenco na sala de imprensa, Deschamps brinca com fato e elogia a França

Comentários()
JEWEL SAMAD/AFP/Getty
Treinador da Seleção Francesa "sofre" com água jogada por atletas em festa comandada por Paul Pogba e celebra título da Copa do Mundo da Rússia 2018

banner Copa 2018

A felicidade pelo título da Copa do Mundo não se restringiu ao campo do Luzhniki Stadium, em Moscou. Em uma festa comandada por Paul Pogba, os jogadores foram à sala de imprensa do estádio para celebrar com o técnico Didier Deschamps. Ele tomou um banho de água e isotônico e concedeu a entrevista coletiva celebrando o título.

O meio-campista subiu à mesa dos microfones e ajudou os colegas a jogarem água no comandante de 49 anos, que venceu a sua segunda Copa do Mundo - a primeira na atual condição. Antes, ele havia levado uma taça em 1998, mas na condição de atleta.

Pouco após a festa do elenco campeão mundial na sala de imprensa do estádio, Didier Deschamps comenta o caso.

"É um bando de malucos. São jovens, estão felizes, então... A gente está nadando na felicidade", disse aos risos. Ainda em bom-humor, ele completou: "Eu me troquei três vezes e continuo me cheirando mal. Mas tudo bem".

Mas não foi só do banho de água que ficou marcada a entrevista coletiva do treinador. Ele falou também sobre a qualidade do jovem elenco francês.

Didier Deschamps France World Cup champions 15072018
(Foto: Getty Images)(

"É difícil responder a essa pergunta. Isso quer dizer que a França fez coisas melhores que os outros. Tinha um grupo muito jovem, em que 14 jogadores estavam descobrindo o que era a Copa do Mundo. Eles conseguiram ter a mentalidade certa para ganhar a competição. Tínhamos imperfeições e fizemos tudo certo. Temos essa qualidade psicológica e força mental que foram determinantes na Copa do Mundo. As equipes com maior domínio não venceram. Nunca tivemos o domínio certo. Mas fomos bem. Somos campeões do mundo e a França estará no teto do mundo por quatro anos", comentou.

Perguntado sobre o fato de igualar Mário Jorge Zagallo e Franz Beckenbauer, como campeão como jogador e técnico, o ex-volante da Seleção Francesa tergiversou.

"Não gosto muito de falar de mim, mas vocês terão que falar de mim obviamente. O que fica é a minha história e o que os jogadores fizeram comigo. O que fizeram hoje é tão bonito e tão forte quanto. Ser campeão do mundo, não há nada acima disso. Há outros títulos, mas nada é acima disso", afirmou.

Fechar