Notícias Placares ao vivo
Cristiano Ronaldo

"Meus advogados estão confiantes" - Cristiano Ronaldo responde a acusações de abuso sexual

16:06 BRT 22/10/2018
Cristiano Ronaldo press conference
O astro português continua a negar veementemente qualquer acusação feita contra ele

Cristiano Ronaldo respondeu às acusações de abuso sexual, declarando que ele e seus advogados estão confiantes de que a verdade vai prevalecer.

A americana Kathryn Mayorga acusou o jogador da Juventus de cometer ter cometido o crime em um hotel em Las Vegas em 2009, algo que o português nega veementemente.

Na véspera do duelo entre a Juve contra o Manchester United em Old Trafford, pela Champions League, o camisa 7 foi questionado sobre o tema.

"Fizemos um comunicado há duas semanas, então é claro que não vou mentir sobre esta situação. Meus advogados estão confiantes e eu também. A verdade sempre prevalece, então não me preocupo", disse o atleta.

O ex-jogador do Real Madrid foi questionado sobre se este extracampo lhe está afetando de alguma maneira, mas, segundo o português, isto não ocorre. 

"Sei que sou um exemplo. 100%. No campo e fora dele", disse Cristiano. 

"Sempre sorrio. Sou um abençoado. Jogo em um clube fantástico, tenho uma família fantástica, tenho saúde. Tenho tudo. O resto não me afeta."

A revista alemã Der Spiegel foi a primeira a reportar as acusações, em texto que indicava que Mayorga recebeu US$ 375 mil de Cristiano em 2010 como parte de um acordo de confidencialidade para evitar que fosse a público com as acusações. A americana entrou com um processo no último mês para encerrar este acordo, enquanto a polícia de Las Vegas reabriu as investigações.

Peter Christiansen, o advogado de CR7, confirmou que o pagamento foi feito a Mayorga, mas criticou uma reportagem no início deste mês alegando que foi baseada em provas alteradas.

Entretanto, um comunicado assinado pelas advogadas Larissa Drohobyczer e Leslie Stovall, que representam Mayorga, afirma: "agradecemos ao advogado de Cristiano Ronaldo por confirmar e admitir em 10 de outubro de 2019 que os documentos do Football Leaks foram obtidos por Cristiano Ronaldo ou alguém agindo a seu mando."

"Desejamos revisar qualquer evidência que comprove que, como o advogado do Sr. Ronaldo afirma, os documentos do Football Leaks tenham sido alterados, fabricados ou contenham informações falsas ou equivocadas."

"Em casos civis ou criminais, questões envolvendo a veracidade de documentos são geralmente decididas pelo júri. Um júri determina a veracidade dos documentos por: 1) Comparar diferentes versões de tais documentos; 2) Escutando testemunhos dos indivíduos que escreveram, prepararam, transmitiram e arquivaram tais documentos; 3) Considerando as circunstâncias em que os documentos foram escritos, preparados, transmitidos, arquivados e mantidos; e 4) Escutando testemunhos de peritos forenses que examinaram os documentos, e os dispositivos em que os documentos foram escritos, preparados, transmitidos e arquivados."

"Em um caso civil, a descoberta é conduzida para obter provas relacionadas a esses assuntos por meio da troca de tais documentos suspeitos, da examinação forense de tais documentos e dispositivos e da examinação de testemunhas sob juramento. Em casos criminais, os promotores confiam no relatório do investigador sobre tais documentos, na examinação forense dos dispositivos e no interrogatório de testemunhas." 

"Qualquer documento ou informação sob controle ou posse de Cristiano Ronaldo deve ser imediatamente entregue às agências de segurança devidas e aos escritórios de Stovall & Associates para que a investigação e a resolução sobre tais discrepâncias nos documentos do Football Leaks."

(Foto: Getty Images)

Em um comunicado anterior, Christiansen afirmou: "Os documentos que têm supostas declarações do sr. Ronaldo e foram reportados pela imprensa são completas fabricações. É do meu entendimento que, em 2015, várias entidades [incluindo escritórios de advocacia] de várias empresas em toda Europa, e as informações eletrônicas foram roubadas e capturadas por um criminoso virtual”.

“Este hacker tentou vender esta informação, e agora uma empresa de notícias publicou de forma irresponsável os documentos roubados, porções significativas que foram alteradas e/ou completamente fabricadas. Para acabar com qualquer dúvida, o sr. Ronaldo sempre manteve, como faz hoje, que o que aconteceu em 2009, em Las Vegas, foi consensual em sua natureza”.

“Enquanto o sr. Ronaldo não nega a existência de um acordo mútuo e sua liberação, as motivações para concordar com aquela resolução foram, para dizer o mínimo, distorcidas (...) Longe de qualquer admissão de culpa ou qualquer outra intenção, o sr. Ronaldo foi aconselhado a resolver de forma provada as alegações contra si para evitar as inevitáveis tentativas que agora estão sendo feitas para destruir a reputação que ele construiu através de trabalho duro, esforço físico e honra”.

“Infelizmente, agora ele se encontra envolvido no tipo de litígio que é lugar comum na América (...) 

O texto publicado por Christiansen insiste na inocência de Cristiano enquanto critica qualquer noticiário sobre as acusações contra o capitão de Portugal.

"O sr. Ronaldo está acostumado a ser tema de atenção da imprensa, algo que vai além de sua fama, e é absolutamente deplorável que qualquer veículo de imprensa suportaria ou avançaria para elaborar, deliberadamente, esta campanha de difamação baseada em documentos digitais roubados e facilmente manipulados”.

“O sr. Ronaldo vai deixar discussões futuras de qualquer tipo, e qualquer tema legal, para seus advogados aqui [em Las Vegas] e na Europa. Ele tem confiança de que a verdade sobreviverá a este frenesi e que as leis de Nevada serão mantidas e aplicadas”.

Enquanto isso, em 11 de outubro o Real Madrid anunciou que tomaria medidas legais contra um jornal português que sugeriu que o clube pressionou Ronaldo a buscar um acordo de confidencialidade com Mayorga.

O Correio da Manhã alegou em 10 de outubro que o acordo ocorreu a pedido do Madrid, em momento em que o clube estava prestes a quebrar o recorde de maior contratação da história para tirar o atacante do Manchester United.   

O Real Madrid insiste que é uma informação falsa e afirmou em comunicado: "O Real Madrid CF afirma hoje que o clube adotará uma ação contra o jornal português Correio da Manhã por publicar informações categoricamente falsas em um esforço para prejudicar seriamente a imagem deste clube." 

"O Real Madrid não tem absolutamente nenhum conhecimento de qualquer das informações que o jornal publicou com relação ao jogador Cristiano Ronaldo, e, portanto, o clube não foi capaz de tomar medidas sobre uma questão que não tinha conhecimento".

document.write('');