Notícias Placares ao vivo
Argentina

Maradona se diz 'mais vivo do que nunca' depois de se recuperar da noite emocionante com a Argentina

20:46 BRT 28/06/2018
Maradona 1
O vencedor da Copa do Mundo de 1986 apareceu na televisão venezuelana para negar os boatos sobre a sua saúde

Diego Maradona criticou os reportagens sugerindo que sua saúde estava em declínio depois que ele precisou receber tratamento médico após o jogo da Argentina contra a Nigéira na Copa do Mundo, aparecendo na televisão para dizer: "Estou mais vivo do que nunca". 

O ex-jogador de 57 anos de idade despertou preocupação quando foi fotografado sendo tratado por paramédicos após a vitória da Argentina por 2 a 1 sobre a Nigéria em São Petersburgo, na terça-feira, mas ele insistiu que não foi levado ao hospital. 

Em entrevista à Telesur, Maradona sugeriu que as pessoas que o invejam exageraram nos relatos. 

"Quero que o mundo inteiro fique sabendo que estou mais vivo do que nunca", disse ele. "Infelizmente não posso fazer dos medíocres boas pessoas. Houve conversas sobre macas, ambulâncias na internet que desencadearam um ciclo de mentiras sem sentido. Eu entendo a inveja, mas não conte mentiras".

Foto: Alex Morton/Getty Images

Maradona chamou a atenção das câmeras de TV dançando, comemorando e gesticulando para a torcedor adversário enquanto a Argentina confirmava seu lugar na fase de eliminatórias da Copa do Mundo. 

Dois áudios em espanhol informaram que a lenda do futebol havia sofrido um ataque cardíaco, levando seus advogados oferecerem uma recompensa de 300.000 pesos para rastrear os criadores dos áudios. 

"Eu tornei pública a decisão de dar uma recompensa de 300.000 pesos para qualquer pessoa que possa fornecer informações precisas sobre a pessoa que colocou o áudio em conjunto. Muitas vezes se pensa que, nestas questões, pouco pode ser feito. Mas meu estúdio me disse que eles consultaram especialistas em tecnologia e você pode conhecer quem os montou. É por isso que precisamos de alguém para nos fornecer informações." disse o advogado, Matias Morla, à Infobae.