Notícias Placares ao vivo
Liverpool

Liverpool com Nike ou New Balance? Reds buscam acordo recorde com uniforme

12:53 BRT 23/08/2019
Anfield Liverpool
Os Reds podem passar o United com maior contrato de fornecedora esportiva de um time inglês

Um dos lados bons de você ter um ótimo time de futebol é a valorização da sua marca, o que atrai outras empresas a investir ainda mais dinheiro para ter o privilégio de uma maior visibilidade. O Liverpool vem vivenciando isso, principalmente nos últimos cinco anos, quando deixaram de ser apenas meros concorrentes na Premier League com Brendan Rodgers para se tornar campeões da Champions League e um dos favoritos ao título inglês.

Quer ver jogos ao vivo ou quando quiser? Acesse o DAZN e teste o serviço por um mês grátis!

Da temporada 2013-14 até a 2017-18, os Reds aumentaram seus ganhos comerciais em 50 milhões de libras (cerca de 250 milhões de reais). Isso tem ligação com os novos contratos da equipe neste período, incluindo o patrocínio master com o banco Standard Chartered (que foi renovado após o título europeu) e com a New Balance para os materiais esportivos.

Essa com toda essa valorização, o Liverpool entende que pode ganhar mais de seus fornecedores esportivos. A parceria com a New Balance já vem há sete temporadas, incluindo três anos com a filial da marca, Warrior Sports. Mas o contrato acaba esta temporada, o que faz os campeões europeus repensar se continuar com a NB ou se aceita outra proposta.

O Liverpool já está em contato com diversas empresas do mundo todo, incluindo a atual fornecedora, e vê elas competem por quem faz a melhor oferta. Quem parece estar um pouco à frente nesta disputa é a Nike, que está disposta a quebrar o recorde britânico que hoje pertence ao Manchester United, que tem contrato com a Adidas de 75 milhões de libras (aproximadamente 376 milhões de reais) por ano, 30 milhões de libras a mais que o atual contrato do Liverpool.

Nos últimos dois anos, os Reds viram outros três clubes da Inglaterra assinarem contratos maiores que o deles: Chelsea, com a Nike (60 milhões de libras), Arsenal, com a Adidas (também 60 milhões de libras) e Manchester City, com a Puma (65 milhões de libras).

Entretanto, os dirigentes do time de Anfield não tem pressa para fechar um novo acordo, já que vão fechar a temporada com cerca de 150 milhões de libras só em contratos de patrocínio, que incluem ainda a Western Union na manga das camisas e a AXA nas camisas de treinos. Mas eles esperam ainda mais dinheiro para a temporada de 2020-21, cerca de 200 milhões de libras, podendo ir assim mais fundo nos mercados de transferências, principalmente depois de uma janela sem muitas movimentações.