Lesionado em seu melhor momento, Dembelé 'obriga' reação de Coutinho no Barcelona

Comentários()
GETTY IMAGES
O frances sofreu uma lesão no momento em que mais brilhava, e é hora de o brasileiro começar a reagir

A nova lesão de Ousmane Dembélé não poderia ter sido mais oportuna. O francês, no auge de suas atividades pelo Barcelona, torceu o tornozelo esquerdo.

Esta é uma má notícia para o clube catalão, que perde o jogador para as partidas contra o Sevilla, Valencia e Girona, dando uma responsabilidade extra para Philippe Coutinho, que será obrigado a dar um passo à frente e trocar a dinâmica que está imerso há muito tempo.

“Coutinho nos dá muito, ele sempre tenta. Não está marcando muitos gols como Dembélé, mas tomara que eles cheguem. Fico com o cara que sempre tenta”, disse Jordi Alba após a vitória do Barça sobre o Leganés no último domingo (20). Ninguém duvida do empenho e da garra do jogador brasileiro, mas seu atual momento na equipe não está à altura de seus companheiros.

Contra o Leganés, Coutinho, que está a quase três meses sem marcar gols pela Liga, viu como cada um dos integrantes do trio composto por Dembélé, Messi e Suárez anotou um gol para o triunfo de 3 a 1. Os três jogadores somam 53 gols (em todas as competições): 25 do argentino, 15 do uruguaio e 13 do francês.

Em contrapartida, o ex-jogador do Liverpool não faz o seu na competição nacional desde o dia 28 de outubro de 2018, na partida terminada em 5 a 1 contra o Real Madrid. Depois disso, veio a seca contra o Rayo Vallecano, Villarreal, Levante, Celta, Getafe, Eibar e Leganés, e não jogou contra o Betis e Atlético de Madrid por conta de lesão.

GFX Dembélé e Coutinho

Seu último gol pela Copa del Rey foi na partida de ida pelas oitavas de final contra o Levante, em 10 de janeiro deste ano, em que perderam por 2 a 1. Sua seca de gols não foi nem sequer disfarçada com assistências. Deu somente duas desde o clássico contra os Blancos em outubro: uma contra o Eibar, em 13 de janeiro, e contra a Inter, em 6 de novembro.

Enquanto Coutinho só concedeu dois gols e duas assistências desde o 5 a 1 contra o Real Madrid, Dembélé anotou oito vezes e distribuiu três passes para o gol durante o mesmo período. Um rendimento que acabou o tornando titular.

Mas o problema principal de Coutinho não é sua falta de gols (fez 6 nas 27 partidas que disputou na atual campanha), e sim a baixa contribuição ofensiva dos últimos meses. Um sintoma ruim que é perceptível, mas que o Barcelona prefere esconder.

“Estamos encantados com Coutinho, o que queremos é que os jogadores não passem desapercebidos, e ele não faz isso”, disse o técnico Ernesto Valverde em entrevista coletiva do último domingo (20).

Seja lá o que digam, Coutinho será agora obrigado a reagir.

Fechar