Notícias Placares ao vivo
Inglaterra

"Inglaterra não venceu a Copa, mas dá esperança ao futuro" - Rashford

10:02 BRT 12/10/2018
Marcus Rashford England Manchester United
O atacante inglês acredita que este é o momento certo para a equipe mostrar que pode ser considerada uma das melhores do mundo

Marcus Rashford ainda não completou 21 anos, mas é um dos jogadores mais experientes dentro desta seleção inglesa que vem sendo continuamente ajustada, remodelada e melhorada pelo técnico Gareth Southgate.

O atacante do Manchester United já é um veterano de 27 partidas pela equipe dos Três Leões, incluindo dois torneios internacionais, devido a sua rápida ascensão.

Faz pouco mais de dois anos desde que Rashford tornou-se um grande nome no futebol europeu. O duelo pela Europa League entre FC Midtjylland e United foi a grande chance do jogador, que foi escolhido por Louis van Gaal para substituir Anthony Martial, que havia se lesionado durante o aquecimento.

Rashford faz parte do United desde os sete anos de idade. Seu talento é tanto, que recebeu a oportunidade de treinar com jogadores mais velhos como Paul Pogba, Ravel Morrison e Jesse Lingard.

“Treinar com colegas da minha idade requer um certo nível de aprendizado. Mas quando se tem a chance de treinar com jogadores mais velhos, o nível de aprendizado aumenta”, declarou o atacante de 20 anos.

Rashford participou da Euro 2016, sob o comando de Roy Hodgson, ex-técnico da Inglaterra, mas a equipe foi eliminada ainda nas oitavas de final pela Islândia.

(Foto: Getty Images)

A passagem de Sam Allardyce foi abortada rapidamente, e parecia que a equipe nacional estava em sua pior fase. Mas a recomposição veio com Southgate, que criou uma das mais promissoras seleções do mundo.

A Copa do Mundo de 2018 terminou com o duelo pela semifinal contra a Croácia, e, para Rashford, isso significa que a Inglaterra ainda tem uma dívida pendente com a equipe que enfrentará novamente nesta sexta-feira (12), pela UEFA Nations League.

Mas algo que a aventura pela Rússia também fez, foi ajudar a restabelecer uma conexão entre time e torcedores, algo que ainda é sentido pelo elenco quando estão em atividade pela seleção.

“Acho que o time estava muito bem”, disse Rashford. “Precisávamos de algo grandioso para dar alguma esperança ao nosso país de que podemos vencer algo no futuro próximo. Definitivamente plantamos aquela semente onde que as pessoas podem ver que estamos evoluindo e aspirando a ser algo”.

Agora, é o momento para ir adiante. O Mundial mostrou que a Inglaterra possui talento para ganhar em mata-matas – com Rashford convertendo pênalti importante contra a Colômbia – e a confiança para vencer partidas de eliminatórias. Sua queda foi uma incapacidade de afastar equipes de escalões superiores do Ranking Mundial da Fifa.

E é por isso que Rashford considera as partidas contra a Croácia e Espanha como oportunidades para o elenco tornar esse estágio final como algo crucial para seu desenvolvimento, e derrotar oponentes de grande nível.

“São jogos muito difíceis, mas é o último passo, superar as maiores equipes do mundo. Não há maior incentivo do que ir e derrota-los, e é disso que vamos nos alimentar e é o que nos levará ao próximo nível”, declarou o atacante do United.

Rashford possui um bom conhecimento de talentos como James Maddison, Mason Mount e Jadon Sancho, e estudou o estilo de jogos dele extensivamente.

“Já vi muitos jogadores jovens quando estavam competindo não apenas no time principal, como também na academia de base. Acho que todos nós sabemos de suas qualidades e o talento que têm”, declarou o jogador inglês. “Trata-se de trazer isso à tona e conseguir o melhor deles para nosso jogo. Este é o aproveitamento do futebol, sempre há pessoas prontas para entrar. Espero que possamos ir bem nos dois jogos e que eles se saiam bem”.