Herói do Atlético de Madrid, Diego Costa foi a peça que faltou para o Real na Supercopa da UEFA

Comentários()
Getty Images
Ao bater os arquirrivais por 4 a 2 – sempre com a participação do atacante – os colchoneros fizeram uma anunciação de seus sonhos

Header Tauan Ambrosio

Diego Costa já está na história do Atlético de Madrid. Por ter sido o artilheiro do time na conquista espanhola de 2013-14, pelo gol na final da Copa do Rei conquistada sobre o Real Madrid um ano antes e pela participação na campanha vitoriosa da Europa League 2017-18.

Nesta quarta-feira (15), garantiu seu nome na história do futebol europeu ao fazer o gol mais rápido dos jogos que valem taça no Velho Continente. O espanhol sergipano demorou 49 segundos para balançar as redes do Real Madrid, na Supercopa da Europa de 2018 – partida entre os vigentes campeões de Champions e Europa League.

Em um Atlético de Madrid repleto de expectativa, seja pela permanência de Griezmann ou pela chegada de bons reforços, o primeiro título europeu conquistado sobre o arquirrival da capital espanhola é mais uma anunciação de que os Colchoneros seguem fortes para se transformarem em uma grande potência do continente. Os dias de melancolia ficaram para trás.

 

É CAMPEÃO! #Atlético supera o #RealMadrid na prorrogação e fica com a Supercopa da #UEFA 2018! #Atleti

Uma publicação compartilhada por Goal Brasil (@goalbrasil) em

E no caminho da vitória por 4 a 2 sobre o Real Madrid, em partida realizada na Estônia, Diego Costa foi o grande craque do jogo. O homem que mudou os rumos da partida ao fazer exatamente o que ninguém conseguiu pelo lado merengue: ser a referência do ataque. Nos cerca de 120 minutos de partida, o Atleti acertou 5 finalizações em comparação a 6 do Real. Duas delas foram de Diego Costa, em suas únicas tentativas.

Decisivo!

Após o gol-relâmpago, o Real Madrid igualou com Benzema e virou em pênalti convertido por Sergio Ramos. O empate rojiblanco chegou no minuto 79, quando Ángel Correa aproveitou falha defensiva dos madridistas, após vacilo de Marcelo ao tentar evitar uma cobrança de lateral, para servir Costa, centroavante que ‘fede a gol’. O camisa 19 também participou do golaço de Saúl Ñiguez, que fez 3 a 2, e do anotado por Koke, que fechou o caixão.

Diego Costa Atlético de Madrid Real Madrid Supercopa UEFA 15 08 2018A referência de ataque decidiu para o Atleti (Foto: Getty Images)

O Atlético de Madrid venceu por não ter abaixado a cabeça após tomar a virada, e pela entrega costumeira de seus jogadores. Mas, acima de tudo, pelo poder decisivo de Diego Costa na referência do ataque. Enquanto isso, o Real Madrid sem Cristiano Ronaldo viu Marcelo (um lateral) e Modric (meio-campista) liderarem nas tentativas de finalizações – 3 para cada, nenhuma delas decisiva.


Curiosidades

• Diego Costa fez gols em suas únicas duas finalizações; Benzema também acertou duas finalizações, mas apenas uma terminou no fundo das redes.

• Em 48 toques dados por Diego Costa em 109 minutos, 11 foram dentro da área do adversário: ou seja, 29.9%. Benzema, a referência no ataque do Real, deu 5 toques na área colchonera (6.3%)... muito longe.

• Antes de Diego Costa, o gol mais rápido dos jogos que valeram títulos europeus era de Paolo Maldini, do Milan, que demorou 51 segundos para estufar as redes do Liverpool na final da Champions League em 2005.

• Paseo de los Melancólicos é uma das ruas que dá acesso ao estádio Vicente Calderón, antiga casa do Atleti – que agora se mudou para o moderno Wanda Metropolitano.

• Diego Simeone é o treinador mais vitorioso na história do Atlético de Madrid: foram duas Europa League, duas Supercopas da Europa, uma liga espanhola, uma Copa do Rei e uma Supercopa da Espanha.


Fechar