"Guardiola queria que Ronaldinho ficasse no Barcelona", diz Assis

Comentários()
Getty Images
Problema político tirou o ex-craque do Camp Nou, apesar dos apelos do então treinador

Ronaldinho deixou o Barcelona em 2008, mas o seu período no clube poderia ter sido maior se o jogador tivesse escutado os apelos de Pep Guardiola, então recém-treinador da equipe. De acordo com Assis, irmão e empresário do ex-craque, o catalão pediu pela sua permanência.

“Particularmente, acho que ele não precisava sair do Barcelona. Poderia ter continuado. A gente ia passar por aquele tormento da escolha presidencial. Mas ele preferiu sair”, disse em entrevista ao Uol Esporte.

“O Pep Guardiola nos chamou para conversar. Queria que o Ronaldo ficasse, mas o Ronaldo decidiu sair. O Sandro era vice-presidente do clube, mas virou oposição e estava brigando nas eleições. O problema é que, de uma maneira ou de outra, o Ronaldo era a referência de contratação feita pelo Sandro Rosell. Então, como maior referência do time naquele momento, ele estava no meio de um problema político. E, obviamente, cada um o usava de uma maneira”, completou.

Na época, vale lembrar que Sandro Rossell e Juan Laporta disputavam cabeça a cabeça o posto de futuro presidente do Barcelona. 

Fechar