Grupo B da Copa do Mundo tem enredo histórico digno de Game of Thrones

Comentários()
Marrocos, Portugal e Espanha foram protagonistas de uma série de acontecimentos históricos que mudaram o mundo

Não é só futebol. De ser tão repetida, a frase virou até mesmo slogan em canal esportivo, mas é uma afirmativa pra lá de válida. E comprovada por diversos motivos, alguns deles que ainda estão por acontecer nesta Copa do Mundo.

A única certeza, por enquanto, é que a frase “não é só futebol” se aplica antecipadamente ao Grupo B do Mundial, que contém Espanha, Portugal, Marrocos e Irã. Isso porque a chave que marca o encontro do atual e último campeão europeu não é apenas uma reunião entre seleções: é uma aula de história.

Exceção ao Irã, os três países que compõem o Grupo B se entrelaçam tanto pela proximidade geográfica quanto pela participação em um dos acontecimentos mais marcantes, e recheados de brigas políticas, negociações e guerras por poder dignos de uma série como “Game of Thrones”: a União Ibérica.


TUDO COMEÇOU NO MARROCOS


Batalha  Alcácer-Quibir 11 06 2018Pintura retrata o momento em que os portugueses foram cercados pelos mouros

A história é conhecida por muitos: entre 1580 e 1640, as duas potências da Península Ibérica ficaram unidas sob uma única coroa. Mas tudo começou em 1578, no território atual do Marrocos. Foi durante uma batalha contra os mouros, que o rei Dom Sebastião desapareceu e foi dado como morto.

O grande problema é que o monarca português não tinha herdeiros, e seu parente mais próximo na linha sucessória, cardeal Dom Henrique, além de ser muito mais velho não podia ter filhos, uma vez que havia feito o voto de castidade ao clérigo. Por isso, após sua morte, em 1580, a batalha pelo trono luso teve início. Pela demonstração de sua força, o espanhol Felipe II, da poderosa família Habsburgo e neto do falecido rei português Dom Manuel I, ganhou a disputa. A partir daquele momento, uma única coroa ditava os rumos de Portugal e Espanha, as duas grandes potências mundiais de então.


O FINAL DA UNIÃO IBÉRICA


Felipe IV 11 06 2018Felipe IV, o terceiro e último rei da União Ibérica

No total, foram três reis espanhóis neste período. Depois de Felipe II, seu filho, o III, completou o seu governo, e foi durante o reinado de Felipe IV que a União Ibérica encontrou o seu fim. E não aconteceu sem inúmeras disputas e guerras.

Em crise econômica causada por diversos conflitos (a maioria deles localizados em território brasileiro), Felipe IV aumentou os impostos para os portugueses e fez mudanças dentro da corte lusa que não agradaram. Foram mais de duas décadas de brigas, até que através do Golpe de Restauração, a Dinastia de Bragança reconquistou a autonomia portuguesa: com guerras e acordos que futuramente dificultariam a vida do Império do ponto de vista econômico. Dom João IV estava no trono, mas Portugal jamais voltaria a ser a potência de antes.


CONSEQUÊNCIAS NO BRASIL


Na época da União Ibérica, o Brasil foi o grande terreno para guerras. Foi um período no qual houve invasões holandesas e francesas, que acabaram com o monopólio econômico da atividade açucareira dos espanhóis. Mas também foi um período marcado pela extensão territorial brasileira.

Em busca de escravos indígenas e pedras preciosas, os Bandeirantes expandiram o território. Afinal de contas, com a coroa unida o Tratado de Tordesilhas ficava obsoleto.


JÁ IMAGINOU NO FUTEBOL?


GFX seleção ibérica

Em meio a tantos acontecimentos históricos, que invariavelmente tiraram milhares de vidas, centenas de anos depois, cabe uma leve brincadeira. Ainda mais em tempos de Copa do Mundo.

Já imaginou se Portugal e Espanha ainda estivessem unidas como uma só? Provavelmente testemunharíamos um tricampeonato europeu inédito, já que Espanha conquistou as Eurocopas de 2008, 2012 e Portugal levou a de 2016. Acima disso, teríamos uma seleção com Iniesta no meio-campo, Cristiano Ronaldo no ataque e outros craques de grande peso nesta Copa do Mundo!

O futebol encanta como jogo, mas também não deixa de ser uma plataforma para levantar assuntos que fogem das quatro linhas. É, definitivamente, mais do que apenas um esporte.

Próximo artigo:
“Ausência de Messi não é desculpa”, diz Suárez após derrota
Próximo artigo:
Resende 1x1 Flamengo: Dourado rouba a cena com golaço
Próximo artigo:
Guarani 2 x 1 Corinthians: Timão leva virada do time de Osmar Loss
Próximo artigo:
Exclusivo Goal: Morata é do Atlético de Madrid
Próximo artigo:
No Barcelona, De Jong terá multa rescisória de R$ 1,7 bilhão
Fechar