Griezmann e Bale marcam o caráter único (e histórico!) da Supercopa da Europa entre Real e Atleti

Comentários()
Getty Images
O jogador do lado alvirrubro da capital espanhola foi mais decisivo na última temporada, e pode ser a grande estrela do clássico

Header Tauan Ambrosio

Pela primeira vez em toda a história, a Supercopa da Europa – disputada entre os campeões de Champions e Europa League – terá um clássico nacional. A disputa pelo troféu, que nasceu em 1972 com formato diferente, já viu equipes de um mesmo país se encontrarem em outras seis ocasiões. Mas jamais em um ‘derby’.

Não é o único ingrediente de ineditismo na disputa desta quarta-feira (15), marcado para às 16h na Estônia, entre Real e Atlético de Madrid. Porque se tradicionalmente o lado ‘blanco’ da capital espanhola é visto como aquele que sempre teve os maiores craques em relação aos colchoneros, desta vez a história é diferente.

Pois com a saída de Cristiano Ronaldo para a Juventus, os atuais tricampeões consecutivos da Champions League agora têm como grande protagonista o galês Gareth Bale – que nem titular absoluto foi na última temporada, embora tenha sido essencial na conquista europeia contra o Liverpool. Já o Atleti tem no francês Antoine Griezmann a sua máxima referência: um jogador eleito craque na final de Copa do Mundo vencida pela França e que aparece como um dos favoritos às disputas pelos prêmios individuais.

Bale Real Madrid 09 08 2018Bale vibra com gol marcado na final da Champions League 17-18 (Foto: Getty Images)

Griezmann, que apesar de ter visto o Barcelona fazer de tudo para contratá-lo optou por seguir no Atleti, também foi protagonista no título da Europa League 17-18. Assim como Bale fez contra o Liverpool, o camisa 7 estufou duas vezes as redes adversárias na decisão continental (uma vitória por 3 a 0 sobre o Olympique de Marseille).

GFX Griezmann

Considerando os números válidos pelas principais competições disputadas na última temporada*, o francês - que costuma atuar como um segundo atacante, mais centralizado - leva a melhor em praticamente todos os quesitos: disputou mais jogos (46 a 36), esteve mais vezes entre os titulares (43 a 24), fez mais gols (27 a 20) e deu mais assistências (13 a 5).

Além disso, teve uma taxa de conversão em gols maior nas suas finalizações completas (27% de sucesso a 24.7% segundo números da Opta Sports). Bale - jogador de ataque que atuou mais vezes pelas pontas - só leva vantagem nas oportunidades criadas com a bola em movimento (56 a 50), o que não deixa de ser informação relevante para o que ele pode fazer em campo.

A presença de Griezmann no clássico inédito da Supercopa ainda é incerta, já que o francês ganhou um descanso maior por causa de sua participação na Copa do Mundo. Mas caso entre em campo, será ele a grande estrela dentro da Le Coq Arena. E isso também ajuda a entender os momentos de Atleti e Real: enquanto um vive expectativa e otimismo, o outro trabalha quieto em busca de uma reformulação.

* La Liga, Champions League, Europa League, Mundial de Clubes e Supercopa da Europa de 2017.

Curiosidades

• A Supercopa da Europa é disputada desde 1972, e até 1999 colocava frente a frente o campeão da Champions League com o vencedor da extinta Taça das Taças. Foi somente a partir de 2000 que os campeões do que atualmente é a Europa League entraram na disputa.

• A primeira vez que equipes de um mesmo país disputaram a taça foi em 1990, quando o Milan levou a melhor sobre a Sampdoria. Em 1993, o Parma bateu o Milan.

• Nos últimos cinco anos, apenas uma vez o jogo não envolveu duas equipes da Espanha: foi em 2017, quando o Manchester United perdeu para o Real Madrid. Reflexo do grande domínio espanhol em competições europeias.

• De acordo com o site Transfermarkt, Antoine Griezmann vale € 30 milhões a mais do que Gareth Bale (€ 120 mi a € 90 mi).


Fechar