França x Argentina,Juventus x Real Madrid, final do Paulistão... Relembre os maiores jogos de 2018

Comentários()
Getty
Preparamos uma verdadeira seleção com jogos que marcaram o ano e já são especiais pelo que representaram dentro e fora de campo

Com tantas competições e equipes ao redor do mundo, a escolha de apenas 10 jogos que pudessem resumir o que teve de melhor no futebol em 2018 foi uma missão difícil. Por isso, selecionamos alguns dos principais duelos que aconteceram dentro e fora do Brasil.

Confira, em ordem cronológica, quais foram as melhores partidas do ano.


 JUVENTUS (3) 0 x 3 (1) REAL MADRID


Cristiano Ronaldo Real Madrid Juventus
(Foto: Getty Images)

O primeiro jogo das quartas de final da Champions League 2018/19 colocou Juventus e Real Madrid frente a frente novamente depois da final da edição anterior da competição. A possibilidade de chegar ao terceiro título consecutivo dos Merengues passava pela Velha Senhora, que sonhava em conquistar o tricampeonato em sua história. No entanto, Cristiano Ronaldo estava em uma tarde inspirada e foi às redes duas vezes, sendo que a segunda delas foi com o gol de bicicleta que lhe rendeu aplausos de todo o Juventus Stadium, garantindo o 3 a 0. Na entrevista coletiva de sua apresentação à Juve meses depois, o português admitiu que o carinho recebido naquele momento despertou sua atenção para o clube que viria a ser seu novo destino.


PALMEIRAS 0 (3) x (4) 0 CORINTHIANS


Cássio I Corinthians Palmeiras I 08 04 18
(Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)

O 29º título do Campeonato Paulista conquistado pelo Corinthians em pleno Allianz Parque veio depois da emoção da disputa de pênaltis mas também muita polêmica em relação à interferência externa da arbitragem que o Palmeiras acusou ter ocorrido. Em um lance de disputa de bola entre Ralf e Dudu, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza assinalou pênalti a favor do time alviverde. No entanto, o juiz mudou a decisão após demorar para analisar a situação e conversar com os assistentes, o que causou a raiva dos donos da casa, que acusaram o quarto árbitro de transmitir informação recebida de fora do gramado. O caso parou na justiça e a decisão foi favorável ao resultado em campo.


ROMA (1) 3 X 0 (4) BARCELONA


Lionel Messi Barcelona Roma Champions League
(Foto: Andreas Solaro)

Talvez não tenha sido um feito impossível, mas com certeza improvável. A virada de placar protagonizada pela Roma, que perdeu o jogo de ida das quartas de final da Champions League por 4 a 1 foi uma das partidas mais emocionantes da competição, sem sombra de dúvidas. Manolas e De Rossi, dois autores de gols contra que deram a vantagem para os Blaugranas, foram às redes no Estádio Olímpico e contribuíram com a construção do placar icônico na história da agremiação Giallorossi. Edin Dzeko foi o autor do outro gol que ajudou o time a se recuperar do revés sofrido no Camp Nou e também guardou a bola na rede na ida. A campanha dos romanistas, que se classificaram pelo critério do gol qualificado diante do Shakhtar Donetsk nas oitavas de final teve fim na fase seguinte, quando caíram diante do Liverpool, equipe sensação da temporada 2017/18 e que se sagrou vice-campeã contra o Real Madrid.


 PORTUGAL 3 X 3 ESPANHA


Cristiano Ronaldo | Portugal | 2018
(Foto: Nelson Almeida/AFP/Getty Images)

Um dos jogos mais eletrizantes da Copa do Mundo de 2018 foi logo na primeira fase. Portugal e Espanha dividiram o Grupo B ao lado de Marrocos e Irã. No confronto inicial da fase classificatória, os dois times entraram em campo com ímpeto. Portugal iniciou na frente por conta do gol de Cristiano Ronaldo. No decorrer do duelo, a Espanha empatou e virou graças aos tentos de Diego Costa. A partida parecia sob controle a favor da Fúria, mas os Quinas se recuperaram e, graças a um CR7 inspirado, o tento de empate veio com colaboração de David de Gea, que não segurou o chute de fora da área. Nacho colocou os espanhois na frente novamente com um voleio de fora da área no que foi um dos gols mais bonitos do Mundial. A dois minutos do fim, no entanto, Cristiano fez de falta o gol que sacramentou o empate em uma das melhores atuações de dois times na competição.


ARGENTINA 0 x 3 CROÁCIA


Willy Caballero Argentina Croatia World Cup 2018
(Foto: Getty Images)

Depois da frustração do empate em 1 a 1 na estreia contra a Islândia, a Argentina se via na obrigação de fazer o resultado contra uma Croácia que conseguiu assumir a liderança do Grupo D com a vitória de 2 a 0 sobre a Nigéria. O que aconteceu, no entanto, foi uma partida para se esquecer. Erros e mais erros em todos os setores do campo, jogadores perdidos e mexidas sem sucesso promovidas pelo técnico causaram uma verdadeira pane na albiceleste. O goleiro Willy Caballero, titular do gol argentino, falhou de maneira lamentável no gol de Ante Rebic e não pôde fazer muita coisa nos gols de Luka Modric e Ivan Rakitic. Modric, teve talvez sua melhor atuação no Mundial nesta partida, o que o ajudou nas conquistas da Bola de Ouro, The Best e na eleição do Melhor Jogador da Copa do Mundo.


FRANÇA 4 x 3 ARGENTINA 


Lionel Messi Kylian Mbappe Argentina France World Cup 2018
(Foto: Getty Images)

Sete gols ao todo, duas viradas de placar e gol da esperança nos acréscimos. França e Argentina fizeram uma partida com todos os ingredientes de um jogo digno de Copa do Mundo. Kylian Mbappé foi o destaque do confronto com dois gols nos minutos finais que o fizeram se tornar o jogador mais jovem desde Pelé a marcar duas vezes na mesma partida de Mundial. Benjamin Pavard fez um golaço de voleio que foi eleito posteriormente como o Gol Mais Bonito da Copa. Pelo lado argentino, Lionel Messi não foi às redes porém contribuiu de maneira importante com a equipe, porém a campanha foi encerrada precocemente por erros acumulados desde a fase de classificação.


FRANÇA 4 x 2 CROÁCIA


france croatia - world cup final - 15072018
(Foto: Getty Images)

Duas seleções que coincidentemente tiveram as melhores campanhas de suas respectivas histórias há 20 anos atrás se encontraram na decisão do Mundial da Rússia. França, campeã dentro de casa em cima do Brasil e Croácia, terceira colocada em sua primeira participação após a independência da Iugoslávia, fizeram a final da Copa no Estádio Luzhniki e, apesar de ter feito uma trajetória cheia de demonstrações de força e superação, com direito a "um jogo extra" graças às três prorrogações disputadas nas oitavas, quartas e semifinal, não conseguiu segurar o ímpeto de uma geração francesa que era vista como potencial candidata ao título de 2022 mas que mostrou maturidade o suficiente para se afirmar como melhor entre as 32 seleções que estiveram em solo russo.


GRÊMIO 1 x 1 FLAMENGO


Lincoln Geromel Kannemann Gremio Flamengo Copa do Brasil 01082018
(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo/Divulgação)

Um dos jogos em solo brasileiro mais movimentados e emocionantes de 2018, Grêmio e Flamengo mediram forças no Rio Grande do Sul e protagonizaram um duelo de duas equipes que atacavam a todo instante. Válido pela ida das quartas de final da Copa do Brasil, ambos tiveram a iniciativa de atacar e os gremistas saíram em vantagem com Luan, após jogada trabalhada de pé em pé. Os flamenguistas não se abalaram e continuaram a tentar ações que levassem perigo à meta defendida por Marcelo Grohe. A insistência deu resultado nos acréscimos do segundo tempo, quando Lincoln empurrou para o fundo das redes. O empate da ida foi o suficiente para que, no Maracanã, Éverton Ribeiro fizesse outro gol que serviu para levar o time até a semifinal.


CRUZEIRO (0) 1 x 1 (2) BOCA JUNIORS 


Cruzeiro Boca Juniors Copa Libertadores 04102018
(Foto: Douglas Magno/AFP/Getty Images)

A Copa Libertadores 2018 foi um prato cheio para quem gosta de confusão. As partidas entre Independiente e Santos tiveram o caso envolvendo Carlos Sánchez, o River Plate teve a questão envolvendo Bruno Zuculini e no duelo entre Cruzeiro e Boca Juniors, o zagueiro Dedé viveu uma situação inusitada: Ele foi expulso nos dois jogos das quartas de final da competição. Na ida, ele acertou o goleiro Esteban Andrada acidentalmente e o juiz, após rever o lance pelo VAR, expulsou o jogador erroneamente. A diretoria celeste recorreu da decisão e a Conmebol liberou o defensor a tempo de disputar a volta. No entanto, ele levou outro cartão vermelho no decorrer do duelo e, mesmo com o gol de Sassá, o time foi eliminado graças aos dois tentos sofridos na Bombonera e o marcado por Cristian Pavón no Mineirão.


 RIVER PLATE (2) 3 x 1 (2) BOCA JUNIORS


Boca Juniors River Plate
(Foto: Getty Images)

Essa decisão teve tanta reviravolta que vamos explicar por partes: A partida de ida foi adiada do sábado (10 de novembro) para o domingo (11 de novembro), na Bombonera. O jogo foi acirrado e o 2 a 2 no placar refletiu o bom futebol tanto de Boca Juniors quanto de River Plate. A volta, marcada para o Monumental de Nuñez no dia 24 de novembro, foi adiada pela violência de torcedores dos Millonarios contra o ônibus da delegação dos Xeneizes nas ruas de Buenos Aires. A Conmebol se reuniu com os dirigentes dos dois clubes e, em conjunto com o Real Madrid, optou por levar a final para o Santiago Bernabéu, no dia 9 de dezembro. Depois de tanta espera, a bola rolou na Espanha para a última final antes de valer a regra do jogo em estádio neutro. O clássico argentino aconteceu normalmente dentro das quatro linhas e consagrou o time treinado por Marcelo Gallardo com o placar de 3 a 1.

Fechar