Fluminense em vantagem para fechar com Daniel Alves; Athletico e Fla recuam

Última atualização
(C)Getty Images

Athletico-PR e Flamengo recuaram em relação à contratação de Daniel Alves no mercado da bola. A movimentação da dupla deixa o Fluminense em vantagem para tentar um acerto com o veterano, que está livre desde a rescisão com o São Paulo. O Inter ainda monitora o jogador de 38 anos, mas está atrás nas negociações neste momento. Os quatro são os brasileiros interessados em contar com o veterano .

Futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN grátis por um mês!

O Tricolor carioca já enviou mais de uma oferta ao estafe do jogador e tenta um acordo rapidamente. A ideia da diretoria é que ele assine um contrato de duas temporadas nas Laranjeiras para atuar em sua posição de origem – a lateral direita. O tempo de contrato é considerado um trunfo nos bastidores do Flu.

O Fluminense ainda aceita incluir em seu contrato uma cláusula que o libere em caso de proposta. O veterano acredita que pode atrair interesse do futebol europeu em meio ao compromisso firmado nas Laranjeiras.

Em dificuldades financeiras, o clube não topa pagar salário muito elevado ao atleta, que representava um custo de R$ 25,3 milhões por ano no Morumbi.

O Athletico e o Flamengo agem com cautela na situação envolvendo o lateral direito e deixam que ele negocie com o Fluminense neste momento, mesmo que o prazo para inscrição de atletas no Brasileirão se encerre nesta sexta-feira (24). Ambos trabalham com a ideia de não onerar a folha salarial com a contratação do jogador.

O Colorado também é cauteloso. Afundado em problemas financeiros, o clube manteve contato com os representantes de Daniel Alves. Entretanto, não chegou a um acordo.

Em seu acordo para rescisão com o São Paulo, Daniel Alves receberá cerca de R$ 400 mil por mês a partir de janeiro de 2022. Os paulistas pagarão o valor até dezembro de 2026. O clube desembolsará cerca de R$ 24 milhões para quitar o débito. A diretoria, contudo, imagina que reduziu o prejuízo em R$ 27 milhões com a quebra do contrato.